Você abandonaria a carreira depois de lançar um álbum e vender menos de 10 mil cópias?

Eu resolvi dar continuidade a série de fatos que marcaram década no K-pop/J-pop mas tirando o “Fatos que marcaram década” do título porque a) Era uma puta breguice e b) Quero postar coisas que não marcaram a década de fato, mas deveriam ter marcado e é muito válido virar pauta aqui devido a tamanha iconicidade. Por exemplo, em 2014 tivemos a misono literalmente admitindo que a carreira estava no limbo e ameaçando a promessa de largar a música se vendesse menos de 10 mil cópias do seu último álbum de estúdio. E como 95% dos leitores vão entrar nesse post perguntando “Quem é misono?” (Os outros 5% são fãs de Koda Kumi e conhecem misono por tabela), vocês já imaginam no que deu né…

Resultado de imagem para day after tomorrow band

Misono foi uma cantora de pop/rock que estreou em 2002 como a vocalista da banda day after tomorrow. A banda durou 4 anos e, embora não tenha vendas muito expressivas ao longo da carreira, o trio teve um certo buzz entre 2002 e 2003, e possui alguns sucessos como os temas do jogo Tales Of Symphonia “Starry Heavens” e “Soshite Boku ni Dekiru Koto”. Os otaquinhos velha guarda também devem conhecer a banda pela música “Itazura na KISS”, que serviu como sexto tema de encerramento do anime “Inuyasha” (Para quem tiver curiosidade, a música encerra o anime entre os EPs 109 e 127).

A banda chegou ao fim em 2005 (Oficializando o disband em setembro de 2006 com uma coletânea montada pelas músicas favoritas dos fãs), mas misono seguiu com a carreira como solista. A cantora ainda serviu alguns temas para a série Tales/Tales Of como o seu debut solo “VS”, e rendeu até duas mini coletâneas de músicas da cantora para a franquia, mas a carreira solo simplesmente não decolou. Durante sua carreira solo misono ficou mais conhecida por ser irmã de Koda Kumi do que como cantora, tanto que a música mais relevante da carreira dela foi a parceria “It’s all Love!” que ela fez com a irmã em 2008.

Após 3 álbuns, diversos singles e vendas baixíssimas para a época, misono anunciava seus planos para se aposentar no final de 2013, mas em 2014 ela acabou voltando atrás anunciando sua última tentativa, o 4º álbum de estúdio “Uchi”. O que chamou a atenção, no entanto, foram as capas do álbum em que misono dava um ultimato: Se o “Uchi” vendesse menos de 10 mil cópias, misono nunca mais lançaria música. Um número baixo se tratando de um lançamento de 2014, mas audacioso para a cantora já que ela não lançava um álbum de estúdio há 4 anos e seu álbum solo mais vendido sequer tinha passado de 15 mil cópias vendidas.

Na capa está escrito: “Se (esse) álbum não vender 10 mil cópias, misono não será mais capaz de lançar músicas”

O álbum foi lançado nas versões CD e CD+DVD, e a faixa “Uchi! Uchi! ROCK ~Toriatsukai Setsumeisho~” ganhou um PV para promover o álbum. A faixa é uma bagunça tenebrosa e o PV é totalmente questionável numa tentativa forçadíssima de ser cute, o que acabou rendendo um backlash dos japoneses que souberam desse lançamento (O vídeo tem a façanha de possuir mais dislikes (1,112) do que likes (965) no YouTube).

Até o dia do lançamento, “Uchi” já era considerado uma piada entre a fanbase de J-pop, e os mais assíduos só estavam esperando o debut do álbum na Oricon para ver o quão longe ela passaria das 10 mil cópias (Já que bater a meta era algo improvável). “Uchi” debutou na 61ª posição com 1.218 cópias vendidas, chegou a subir para a 49ª posição na 2ª semana mas acabou vendendo em torno de 3 mil cópias até sair dos charts. E assim como o prometido, misono não lançou singles ou álbuns depois disso e passou os anos seguintes na mídia vivendo de aparições ocasionais em alguns programas. Ela chegou a anunciar em 2016 um retorno à música focada no mercado taiwanês, mas o máximo que rolou foi uma participação em um álbum tributo à dupla dos anos 60 The Peanuts. Hoje misono se dedica ao seu canal no YouTube, que completa 1 ano no próximo dia 9 com novos vídeos toda semana.

A queda de misono acabou sendo uma das coisas mais explícitas se tratando de uma carreira que acabou porque flopou. Muitas carreiras acabam por conta de flop, mas poucas tiveram um processo tão agoniante com o próprio artista envolvido no processo e dando esse ultimato (A própria misono numerou 10 mil álbuns e os fãs na época postavam fotos mostrando o número que eles adquiriram). Algo parecido também aconteceu no K-pop em 2016, com o 4minute revelando para os fãs que o grupo chegaria ao fim se o seu último comeback delas, “Hate”, não fosse um sucesso nos charts, mas nem de perto chega ao nível de flop e envolvimento no processo que misono teve com o Uchi.

2 comentários em “Você abandonaria a carreira depois de lançar um álbum e vender menos de 10 mil cópias?”

  1. E pensar que hj em dia vender 10k já pode ser considerado uma vitória visto o baixo praise que os japoneses estão dando pra maioria das solistas femininas nos últimos tempos…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s