“Happy” acabou não sendo o single mais feliz da Taeyeon

Depois de promover o relançamento do seu segundo álbum, Taeyeon já está de volta com o 2° single de 2020, “Happy”. O single originalmente estava programado para março, mas com a morte do pai pouco antes do lançamento a SM fez a sua obrigação e adiou o single e o calendário dela para o dia 4 de maio, quando ganhamos single e MV:

Uma característica marcante dos singles da Taeyeon num geral é que eles são bem sazonais. Sendo uma midtempo safe ou algo mais fora da caixinha, praticamente tudo que a Taeyeon lança é pensado em ter uma sonoridade ideal para a época em que está sendo lançado, e essa visão é um dos fatores que contribui com a manutenção do sucesso da cantora mesmo depois de 13 anos de indústria, e “Happy” reflete isso bem. Tanto a música mais fofinha e soft quanto o vídeo repleto de flores e cores/tons pasteis trazem o espírito da primavera na visão da Taeyeon, e embora eu não seja um grande fã da carreira solo dela, hoje eu reconheço essa perspicácia que ela tem na hora de escolher o que vai e o que não vai promover.

O meu problema com “Happy” é que a música não transmite uma pessoa… feliz. Sabe, quando você nomeia músicas com sentimentos você involuntariamente cria uma expectativa, como chamar uma música triste de “Blue” ou qualquer midtempo mais emocionada com “Love”, e acaba se agarrando a esse pré-conceito, o que abre espaço para o artista surpreender de forma positiva ou, nesse caso, negativa (Positivas ou negativas). Óbvio que eu não estava esperando a Taeyeon bater cabelo em uma boate bêbada com um farofão tocando no fundo, mas também não esperava algo tão monótono, sentindo que faltou uma vibração a mais nessa música. Algo que me deixe pra cima ouvindo, como a “Happy” que a Nicole Jung (A ex-KARA, lembram dela?) lançou para promover seu álbum japonês.

A Nicole não faz exatamente um single dançante (Embora bem mais pop que a da Taeyeon, em comparação), mas essa música é muito legal e me dá muita energia, principalmente no refrão vibrante, pra cima que essa faixa tem e faz a gente abrir um sorriso pra cantar junto, algo que faltou pra Taeyeon no single dela. Taeyeon canta como uma pessoa apaixonada que está tendo bons sentimentos e pensamentos, mas ao ouvir a música eu queria sentir uma alegria mais forte, um refrão que ganhasse uns níveis e permitisse uma explosão mais alegre, e nada disso veio.

“Happy” é uma boa música que mais uma vez mostra Taeyeon antenada com o que combina e faz sucesso para a estação, funcionando muito bem como o presente pros fãs que isso é (Poderia ser uma balada emotiva de meia hora como 90% dos presentes pros fãs, pensem bem). Mas pra mim ela se prendeu demais em fazer uma faixa fofa e apaixonada e chamar isso de “Happy” me parece muito errado, a ponto de não apreciar a faixa como poderia (O fato da música sempre manter o mesmo tom também atrapalhou aqui). Mas a Taeyeon ainda tem créditos comigo depois de “Spark”, então ela pode passar uns 2 anos lançando balada chata que não vou ligar (Mentira, Taeyeon já pode encomendar a sucessora do hino pro próximo outono).

2 comentários em ““Happy” acabou não sendo o single mais feliz da Taeyeon”

  1. Eu acho que a Taeyeon fica naquela linha mediana, ela sempre soa chata nos solos, tirando os do começo da carreira solo.
    Ultimamente ela só tem entregado músicas preguiçosas que os sones juram de pés juntos que são hinos, igual os reveluvs fazem com o RV.
    No final essa música só é preguiçosa e deprimente como todas as outras.

    Curtir

Deixe uma resposta para Sophia Hoseok Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s