Yukika segue como a dinda dos gays que fingem ter vivido os anos 80 no Japão com “Insomnia

Depois de lançar a gostosíssima “Lovemonth”, a queridinha da blogosfera de fundo de quintal Yukika está oficialmente de volta com seu 1º EP, “Timeabout,”. E como a missão da Yukika é ser a grande gostosa do City Pop em território coreano, é claro que “Insomnia” viria nessa mesma pegada:

Em um K-pop onde se cobra muita versatilidade e conceitos distintos entre si, talvez a Yukika voltando sempre com um City Pop na manga seja uma grande exceção. É muito ousado da parte da Yukika criar uma assinatura sonora tão marcante e única dentro da indústria pois, mesmo com o City Pop em alta na Coreia e a IU estar dominando tudo com “Lilac”, ainda encaro como um som mais alternativo do que o que o mainstream do K-pop pede. É como se a Yukika ainda corresse contra a multidão tentando criar o seu próprio espaço, e eu aprecio essa coragem em fazer desse gênero sua identidade sonora ao invés de ser apenas um conceito para um trabalho em específico.

O que me deixou um pouquinho chateado é que “Insomnia” não é uma música tão dançante como “Soul Lady” foi ano passado. Na verdade, esse comeback vem com a mesma energia de “Yesterday”, sendo uma música que cria um ambiente mais relaxante para o ouvinte, com uma melodia mais amistosa e vocais mais doces conduzindo a faixa para uma sonoridade tranquila e reconfortante. Isso não faz a música deixar de ser ótima, afinal “Insomnia” ainda é um City Pop com uma atmosfera mágica e uma execução brilhante, e ouvir a Yukika nesse estilo é sempre um prazer para mim. Eu só queria algo não tão lento assim, mas ainda vai agregar muito para minhas playlists de tomar chá e pensar na vida.

O ponto alto desse comeback é o MV, com a nova empresa juntando uns trocados a mais e fazendo a Yukika ter mais orçamento nesse vídeo. Claro que não foi um grande orçamento, mas “Insomnia” tem uma historinha dela se encontrando e conectando com o seu passado, cenários, CGI e efeitos especiais que tornam esse o vídeo mais elaborado e mais bonito da cantora até aqui. E assistir o MV é uma experiência prazerosa, uma vez que a Yukika transmite uma aura amigável e adorável que me faz querer assisti-la. É um vídeo que realça toda essa doçura que a Yukika traz para as câmeras com uma produção com mais recursos.

“Insomnia”, para todos os efeitos, é mais um single adorável para a carreira solo adorável da Yukika na Coreia. Nesse momento eu não estou 100% pela música por querer algo diferente, mas é um trabalho que ainda vai crescer muito comigo e é claro que já está entre os destaques do ano, pois ela sempre vence no meu coração. Claro, ela ainda precisa vencer nos charts coreanos para conseguir o sucesso que merece, mas quero acreditar que é só uma questão de tempo.


Hidden gem: Secret

As 3 inéditas desse EP novo da Yukika também são ótimas, mas “Secret” é a que mais soa como algo fora da zona de conforto para a cantora. Com o mesmo produtor de “Lady” da Yubin (!!!) e descrita como um “Post City Pop”, é uma faixa mais viva e animada que o resto do álbum, mas sem perder a essência retrô que a Yukika tem investido até aqui. O instrumental, na verdade, é como se um girlgroup nível April resolvesse investir em um synthpop, pois é bem o que os girlgroups de 3º escalão apostariam como faixa principal, mas a Yukika consegue botar sua personalidade em um vocal diferenciado e angelical. Vale a pena ouvir o “Timeabout,” inteiro, mas essa faixa é essencial que você dê o seu stream.

2 comentários em “Yukika segue como a dinda dos gays que fingem ter vivido os anos 80 no Japão com “Insomnia”

Os comentários estão encerrados.