Everglow continuam como as guerreiras do lacre na Coreia no close meio errado “First”

No ano passado o EVERGLOW explicitou de vez o seu lado lacrador e rendeu o seu melhor single até aqui com “La Di Da”. Para o primeiro comeback do grupo em 2021, o Everglow trouxe a mesma letra empoderada, independente e com muito carisma, porém voltaram com a sonoridade mais explosiva e de atitude comum no K-pop:

“First” é (mais) um daqueles números trap meio apocalípticos, super agressivos e altamente questionáveis que boygroups costumam aterrorizar o K-pop semana sim semana não porém, em 2021, são os girlgroups que estão testando a minha paciência para esse tipo de som. “First” nem é o pior exemplo ou chega a ser uma música ruim, pois eu gostei do pré-refrão disso aqui e a bridge é ótima. O refrão não funciona comigo, mas ainda tem mais conteúdo do que um mero drop com o título sendo repetido várias vezes. Tudo em “First” parece acima da média, mas não sei se é o suficiente para suceder “La Di Da”.

O grande destaque é o MV e essa super produção por trás do EVERGLOW (Vantagens de ter uma empresa chinesa agenciando as meninas). Além disso, por algum motivo que eu não sei, eu compro essa persona mais forte e empoderada do grupo (É muito melhor executada do que a média recente desse estilo). A estética está incrível, os efeitos são impressionantes, as locações são bom gosto e elas também impressionam nos figurinos (Tem um ou outro mais fraquinho mas achei as gatas bem fashionistas aí). Só faltou uma música que vingasse nos meus ouvidos mesmo.

“First” é um comeback padrão do EVERGLOW. É um estilo familiar dentro dos lançamentos do grupo e não é tão ruim assim (Talvez o mais fraco DELAS, mas ruim de fato eu não acho). O grande problema é que “La Di Da” existe, e uma música como “First” sendo lançada depois do hino que foi o último comeback delas é decepcionante. Soma isso com a saturação do mina fodona concept e um refrão bem mais ou menos e “First” simplesmente não engrena. EVERGLOW já mostrou que consegue lançar coisa melhor sem fugir desse conceito principal de guerreiras do lacre, e não quero acreditar que “La Di Da” foi um golpe de sorte do grupo.


Hidden gem: Don’t Ask, Don’t Tell

Se a nova “La Di Da” não veio como single, a nova “Untouchable” veio atraves da b-side “Don’t Ask, Don’t Tell”, sendo um pop meets disco que você encontra no último álbum da Carly Rae Jepsen. É um pop vibrante e leve que nunca veremos o EVERGLOW lançando como single, mas é uma ótima alternativa para botar numa playlist de verão. E como “First” não brilhou comigo, “Don’t Ask, Don’t Tell” acaba sendo o grande destaque desse comeback.

Nota: A Yuehua poderia separar um pouquinho do dinheiro dos MVs para produzir mais músicas, né?! Esses comebacks de 3, 4 músicas que elas fazem nunca vão ser memoráveis por sempre parecer pouca coisa (Especialmente nesse comeback que parece que elas demoraram mais que o habitual para voltarem ao K-pop). Funciona para a YG porque a Coreia já está acostumada com as migalhas de lá, mas acho que o Everglow poderia focar em álbuns com mais conteúdo para ver se elas emplacam na Coreia como emplacaram em outros lugares da Ásia.

12 comentários em “Everglow continuam como as guerreiras do lacre na Coreia no close meio errado “First””

  1. Mds quando o Everglow vai lançar um álbum e não essas coisas de três músicas.
    Só falta lançarem um álbum de 8 músicas e chamarem de full album também.

    Curtir

  2. Antigamente até achava interessante as meninas pegarem esse conceito dos boygroups e tals. Pois bem, não acho mais e pra tá sendo TENEBROSO esse conceito novo em girlgroups, porque se torna tudo clichê e ruim.
    Caramba, tava até empolgada com elas, mas essa música é bem fraca e chata_ não consegui assistir até o fim, tudo a mesma estética que já vimos no Blackpink e os outros trocentos boygroups por aí_
    A musiquinha aí de debaixo é bem legalzinha e da pra curtir a de cima é simplesmente inaudível.

    Curtir

    1. mas lançamento bom de gg até agora é oq mais teve
      acontece que só aberração bate panela ou as bombas da big3 hitam
      weeekly fez um barulho bom com after school q é super boa inclusive
      cosmic girls inventou uma unit e saiu uma easy q tbm é boa
      rocket punch veio com ring ring
      fromis com we go….
      enquanto isso oq aparece nos charts é next level e im the morning

      Curtir

      1. Eu esperava beeeem mais, uma irmã para Lá DiDa, mas não veio, o refrão não me cativou, a estrutura da música está boa mas o refrão não ficou muito bom, eu gosto, a música tá boa, muito melhor q uns girl group trás aí e o povo deita. As lineup voltaram a ser piores, a música tem quase 4min e a nova Líder e a Mia comem quase a música toda, nesse comeback a E.U e a Onda foram apagadas, o bom é que o Everglow serve muito bem, e todas ali fazem perfeitamente o papel no grupo e isso fica bom! Do álbum eu amei “Please Please”

        Curtir

  3. Não tenho como reclamar, pq prefiro essas barulheiras do que girlgroups lançando aqueles aegyo forçado chave de cadeia. Mas isso é moda, nada que daqui dois anos qualquer grupo recalcula a rota e lança músicas que estiverem vendendo. Pra mim La Di Da nem foi golpe de sorte, foi só a empresa colocando elas pra surfarem na onda retrô que ta em alta.
    Mas o principal disso tudo é… VERÃO COREANO.
    Expectativas: as meninas em praias ou resorts, em cenários quentes, rebolando com shorts atochados, bebendo uma caipirinha e ouvindo um pagodinho.
    Realidade: roupa preta em galpão ou tela verde.

    Ah Sistar, que falta vcs fazem pra aquecerem nossos coraçõezinhos nessa época fria.

    Curtido por 1 pessoa

Os comentários estão desativados.