O que aconteceu em 2020: Jessi

Dezembro é aquele clássico mês no K-pop em que a pauta é escassa pois o pessoal lá está focado em vingar 420 premiações e 78 shows de fim de ano, e os blogueirinhos e youtubers acabam se virando nos 30 para achar alternativas e se esquivar de coisas menos interessantes da época. Uma dessas alternativas é fazer uma retrospectiva com os eventos que marcaram 2020, e realmente rolaram umas coisas muito legais que valem ser revividas. Então, sempre que eu achar interessante, vou dar uma passeada sobre grandes eventos que marcaram esse ano que, apesar de ser praticamente congelado pelo Covid-19, não fez a indústria parar em nenhum instante.

E, para esse post, vamos comentar outra grande ascensão de 2020 que (literalmente) lutou para fazer esse single acontecer: Jessi.

A Jessi é uma celebridade muito popular na Coreia do Sul, com sua personalidade e seu jeitão de gostosona boss bitch surpreendendo o público coreano e garantindo vaga para diversos variety shows. Ela é uma pessoa (meio que) onipresente, e toda hora você vai dar de cara com a Jessi dando na cara de algum apresentador ou comediante de lá. Porém, na sua carreira musical, estava faltando aquele hit pra chamar de seu: Depois do Unpretty Rapstar a Jessi ainda conseguia números expressivos para uma rapper feminina (Na verdade qualquer número que uma rapper feminina consegue na Coreia já é expressivo), mas hit MESMO ela ainda não teve na Coreia. Mas em julho de 2020 ela lançou “Nunu Nana” e o seu EP “NUNA”, e a gata estava determinada em fazer acontecer.

Com a célebre participação da Lee Hyori no MV e aproveitando da recente amizade divulgada entre as duas (O comeback saiu pouco depois da Hyori falar que queria formar um grupo com ela, Uhm Jung Hwa e Hwasa), Jessizão divulgou um challenge no TikTok, onde ela e a Hyori misturavam a coreografia da música com alguns movimentos próprios e desafiaram a internet a fazer o mesmo e usar a criatividade:

Mas ela não parou por aí, afinal ela tem contatos. E quando temos contatos, a gente usa.

Yoo Jae Suk, Rain, Hyuna, Soyou, Tiffany, Dara, Dawn, Henry Lau, Eric Nam, Kim Yohan e Kim Sook foram alguns dos contatos que a Jessi chegou e falou: “Olha eu sei onde vocês moram, se não dançar a minha música vou descer a porrada em todo mundo na saída”. Tá, talvez a Jessi não tenha ameaçado metade da indústria do entretenimento coreano (Que equivale a metade da população coreana), mas o importante é que deu certo: Aos poucos o público abraçou o desafio, vingou a música no TikTok e transformou “Nunu Nana” em um viral da plataforma, fazendo a música subir nos charts coreanos semana após semana até chegar na 2ª posição do Gaon (O maior peak e primeiro Top 10 da Jessi com uma música solo).

Podemos dizer que “Nunu Nana” foi o grande smash do TikTok sul coreano? Provavelmente não, mas sem dúvidas foi o que mais impulsionou a popularidade de uma artista no mainstream, uma vez que a Jessi deixou de ser uma fodona só na cena hip hop coreana, mas também dominava o país com um smash hit.

Sobre a música, ela cresceu muito comigo desde o lançamento. No início a música era muito mais carregada pela personalidade da Jessi do que pela música em si, com “Nunu Nana” sendo uma faixa muito legal porque a Jessi é muito legal e faz acontecer. Eu ainda penso assim, mas é uma música fácil de ouvir, daquelas que você não espera uma reflexão profunda e lírica sobre os problemas sociais de 2020 e só quer balançar a bunda com uma letra de gostosona e uma música com batidão mais forte. Não é a primeira e nem será a última vez que a Jessi vai lançar uma faixa como “Nunu Nana”, mas vimos com esse single que ela é uma gata que se esforça para fazer seus comebacks e sua carreira acontecerem na indústria.

Uma consideração sobre “O que aconteceu em 2020: Jessi”

  1. ate hoje lembro de gucci que ela lançou e pensava queria aquela musica tivesse e um estouro na midia coreana

    mais nugu nana conseguiu esse feito e fico feliz por ela

    Curtir

Os comentários estão encerrados.