Rocket Punch é mais um orgulho para os gays que não nasceram nos anos 80 com “Ring Ring”

Eu sei que muitos de vocês adoraram mais o comeback do Fromis_9 que eu já aclamei por aqui também, mas para mim o Rocket Punch superou todas e entregou o melhor comeback dessa rinha de girlgroups que rolou ontem com “Ring Ring”:

Claro que o fato de “Ring Ring” ser um synthpop oitentista crocante e claramente inspirado em Initial S da Sori ajuda nessa minha avaliação, afinal essa é uma das melhores músicas da história e qualquer música que use esse marco como referência merece qualquer aclamação…

Já ouviram esse hino hoje?

… E acho que “Ring Ring” tem o seu brilho próprio pela particularidade dos vocais altíssimos que as meninas Rocket Punch costumam apresentar em seus lançamentos. Tem quem ache irritante e não suporte o grupo por isso, mas eu costumo gostar nas músicas delas e em “Ring Ring” não foi diferente. Essas vozes dão mais intensidade para a música completa, que fica mais emocionante conforme a música vai crescendo até explodir em um refrão adorável e cheio de alegria.

É muito difícil errar em um conceito sonoro desse tipo e a Woollim costuma mostrar trabalhos muito sólidos nesse universo synth, então “Ring Ring” já mostrava potencial desde o 1º teaser. Completa, o Rocket Punch mostrou que consegue entregar uma música conceitual redondinha e deliciosa sem deixar de lado algumas características que me fazem acompanhar o grupo (Como essa energia mais festiva e “oposta ao Lovelyz” que a Woollim reforça nelas). “Ring Ring” é uma faixa pop fortíssima e que faz muito pela minha playlist, sendo não só o meu lançamento favorito de ontem como o meu single favorito do Rocket Punch até aqui.


Hidden gem: Ride

Ainda se mantendo nessa linha retrô-pop, o Rocket Punch lançou essa “Ride” como parte do single do grupo que segue a mesma linha de pop nostálgico e animado para as tardes dos gays que gostam de reviver coisas oitentistas mesmo não vivendo nada daquilo. A música cresce demais no primeiro refrão, e a segunda leva de versos depois disso é simplesmente sensacional. Toda a excitação e animação que eu tive ouvindo “Ring Ring” eu também senti em “Ride”, e por isso é a minha preferida das duas album tracks que vieram nesse comeback (“I Want U Bad” é uma boa faixa e vale a ouvida também, só não me cativou taaaanto quanto as outras duas músicas).

4 comentários em “Rocket Punch é mais um orgulho para os gays que não nasceram nos anos 80 com “Ring Ring””

  1. A música é legal, mas não curti muito o vocal delas alto, acho que deveriam manerar mais em alguns momentos.

    Curtir

Os comentários estão desativados.