O BTS bobinho de “Dynamite” está de volta em “Butter”

BTS está de volta com seu segundo single em inglês, “Butter”, depois do sucesso enorme que “Dynamite” fez ano passado. O grupo sempre traz aquele medo de vir algum trabalho pedante demais que passa do ponto e se torna uma chatice pretensiosa (Que a fanbase vai defender com unhas e dentes que é arte da mais alta qualidade e etc. etc.), mas aparentemente eles tomaram a decisão de usar o espírito bobinho e despretensioso de “Dynamite” como um caminho para seus singles fora do eixo Coreia-Japão… E que bom que eles fizeram isso com “Butter”:

Tudo que estava presente em “Dynamite” volta nessa música, desde o instrumental funky pop leve até a letra bobinha e que não faz muito sentido para ser uma música divertida e despretensiosa para o verão e o autotune questionável (Que eu achei mais limpo aqui). A regra é simples: Se deu muito certo em “Dynamite” (A ponto dessa música aparecer alto em alguns charts ATÉ HOJE), não tem motivos para mudar a fórmula né?! Só fiquei surpreso da música ser tão curta (Menos de 3 minutos… Isso é algum funk sobre ficar viciado em sentar com a bunda?) mas isso ajuda a descer “Butter” mais rápido, então tudo bem.

Com isso dito, “Butter” é uma versão melhor e mais legal deles mesmos. Eu acho “Dynamite” legal mas tinham coisas nela que davam para ser evitadas (O autotune naquela faixa ainda é bizarro, por exemplo), e “Butter” não só corrige tudo que tinha que corrigir como ganha outros momentos bem legais (A rap line que é muito mais memorável nessa música do que em vários lançamentos do BTS). Esse comeback é ainda mais fácil de ouvir enquanto eu lavo uma louça, varro uma garagem, arrumo o meu quarto e etc. Isso quer dizer que eu vou ouvir “Butter” por vontade própria? Provavelmente não, mas não vou achar ofensivo se a Samsung pegar essa bridge (Que é deliciosa) para vender celular em 49 comerciais como fizeram ano passado.

“Butter” é uma música que traz uma energia muito boa, é dançante, empolgante e agradável de ouvir e de assistir (Apesar do MV ser mais simples e não ter aquela opulência de outros MVs do grupo). Mesmo que o BTS não seja um grupo com muito apelo na minha playlist, essa é uma música que colocaria para ouvir sem nenhum compromisso por ser exatamente o que mais funciona em um boygroup: Uma faixa bestinha e sem muita pretensão de mudar o pop. E como eu sempre defendi que o BTS sendo bobinho e legal é muito mais legal do que o BTS conceitual e se levando a sério demais, “Butter” acaba sendo um dos melhores singles do BTS para mim.

25 comentários em “O BTS bobinho de “Dynamite” está de volta em “Butter””

  1. A música tá uma merda, nada de novo, só o padrão deles mesmo…

    as únicas pessoas felizes com isso são as fãs mongoloides e o israel que vai ter essa arma poderosa pra tacar nos inimigos

    Curtir

      1. Só porque a pessoa não gostou da música não faz nenhum sentido você assumir que ele está nervosa. Isso parece mais um problema com você do que com ela

        Curtir

    1. Então, para mim o problema, foi que ele não simplesmente falou sobre mal sobre a música, foi a ofensa racista na última frase. Primeiro q Israel não tem nada haver com o grupo em si e nem a música, segundo q o termo mongolóide, realmente é um termo racista. Se vai criticar, seja mais pontual sobre o q n gostou. Ser genérico n tem nada haver com ser merda. Provavelmente, só não é o seu estilo

      Curtir

  2. Essa música esmurra a bomba Dynamite de um jeito…
    Uma pena que o Hobi nem canta direito (nada de novo por aqui)
    “Butter rainha, Dynamite nadinha”

    Curtir

    1. e o pior é que saiu uma matéria falando sobre a “igualdade” de distribuição de linhas em butter mas o jungkook e o jimin comeram a música

      Curtir

  3. Eu gostei da música nada deles me animava desde makes It right. Pena que esse MV é bem baixa renda, parecia um grupo de 3° escalão. A música não merecia um clipe tão pobre assim.

    Curtir

  4. Então, para mim o problema, foi que ele não simplesmente falou sobre mal sobre a música, foi a ofensa racista na última frase. Primeiro q Israel não tem nada haver com o grupo em si e nem a música, segundo q o termo mongolóide, realmente é um termo racista. Se vai criticar, seja mais pontual sobre o q n gostou. Ser genérico n tem nada haver com ser merda. Provavelmente, só não é o seu estilo

    Curtir

    1. Também notei isso, eles tão se adaptando demais esteticamente a imagem americana e ficam agindo de modo meio desconfortante. A música é simples como as americanas.

      Curtir

  5. cara, eu não consigo gostar de jeito nenhum de tantos singles deles, mas se essa música virar comercial eu não me incomodo por ser mais agradável do que a Bomba.
    Só eu achei o mv simplorio demais e o estilo deles também? É quase semelhante a um debut, não é uma reclamação, mas poderiam ter caprichado mais em alguns takes.

    Curtir

  6. A música é legalzinha, irei dar um play novamente? Não…
    O autotune neles é muito pesado, fico imaginando se é falta de gogó desses meninos ou a empresa cagando msm,

    Agora o que me incomoda nisso udo é que a BigHit esqueceu de mandar o cheque pro Dr. Kim, pq olha a cara desses homens, o doutor passou uma lixadeira ao invés do bisturi. Tá bizarro.

    Curtido por 2 pessoas

    1. Nossa, eu detesto como a empresa usa o autotune. Eu evito algumas músicas do TXT também por causa disso, fico toda agoniada quando escuto os vocais alterados demais.

      Curtir

Os comentários estão desativados.