Review Retrô: SNSD e o maior caso de fingimento coletivo da fanbase com “The Boys” (2011)

Todo blog de música que se preze sempre tem um quadro dedicado a fazer review de música velha, seja para preencher dias que não tem pauta ou quando a pauta do dia simplesmente não vale a pena. E hoje é o dia em que começo a mexer em tralha velha das discografias de Asian Pop e faço reviews retrô de grandes clássicos da música asiática. Aí eu pensei: “É bom eu começar com alguma opinião bem polêmica de K-pop pra dar aquele pontapé inicial e me empolgar com o quadro né”, e acho que não tenho uma opinião tão controversa em cima de um single de K-pop como eu tenho com “The Boys”, single do SNSD lançado em 2011 e que eu acho uma bela chatice:

“The Boys” é o single de comeback do SNSD para o K-pop após 1 ano basicamente focando esforços em seu muito bem sucedido primeiro álbum japonês, e sua versão em inglês também é o debut do SNSD na América, aproveitando a crescente de popularidade do K-pop e o fato do grupo ser um dos principais nomes da onda hallyu na época. Um movimento ambicioso, especialmente para uma empresa que já havia tentado (E falhado) invadir a América com uma artista coreana antes, mas com o SNSD eles foram mais ousados: “The Boys” não era pra ser só um debut americano, mas sim um grande marco na carreira do Divine Nine. Tanto que foi vendido como uma virada de imagem na carreira das Soshi, algo totalmente diferente do que o grupo estava investindo e tudo mais pra deixar bem claro que elas não aguentam mais cantar Gee e estão partindo para algo mais maduro e adultão. “The Boys” foi trabalhada para ser um salto na popularidade do SNSD ainda maior do que elas conseguiram em 2009, afinal a SM queria fazer o SNSD dominar o único mercado em que o SNSD não era imbatível (Afinal a onda hallyu no Ocidente era dominada pelo 2NE1).

O conceito e os teasers fazendo uma releitura moderna de contos de fadas clássicos eram ótimos (Nem mesmo essa capa breguíssima matou o hype), a mudança de imagem convencia até ali e tudo estava indo muito bem. Na época eu realmente estava empolgado para o que o SNSD poderia servir de tão groundbreaking, mas quando chegou o lançamento… Meu deus, que coisa broxante. A ideia das fotos foi totalmente desperdiçada em um MV lindo porém muito básico por conta da frequente mania da SM em gravar seus vídeos com dois estúdios e um jogo de luzes pesado. Os cenários até funcionam, tem takes maravilhosos e etc., mas de resto é só um vídeo de dança deluxe onde as gatinhas são grandes gostosas que fazem carão e catwalk, algo que elas já tinham feito bem melhor em singles japoneses como “Mr. Taxi” e “Bad Girl”, e também com a imbatível “Genie (Tell Me Your Wish)”.

11 anos sendo uma das melhores coisas que o K-pop já serviu

Mas o que me mata mesmo é essa música, que não tem nada a ver com o SNSD. E quando eu digo “Nada a ver com o SNSD”, eu quero dizer que qualquer grupo e/ou artista mais genérico poderia pegar essa demo e lançar por aqui e isso nem chega perto de ser um bom sinal para um lançamento tão pretensioso. A batida dos versos não empolga, a batida do refrão não explode do jeito que poderia explodir e o break onde tentam vender o SHYY como uma rap line é involuntariamente hilário. As melhores partes da música são a Taeyeon/Jessica dividindo a bridge e a parte em inglês da letra original que serve umas linhas realmente icônicas, mas “The Boys” é basicamente a mesma batida sendo executada por quase 4 minutos e o que poderia desenvolver uma música mais interessante acaba não empolgando pra valer.

“The Boys” é um single muito pretensioso, muito bem enfeitado e com um hype absurdo, mas não passa disso. O que resume “The Boys” é o impacto que era ter um comeback do SNSD naquela época, afinal elas tinham o álbum feminino mais vendido na Gaon (Coreia), o álbum de girlgroup coreano mais vendido na Oricon (Japão), recordes e mais recordes de vendas e popularidade pela Ásia e todo mundo (fãs e haters) estava curioso para saber qual seria o próximo passo do girlgroup da nação, mas foi fantasia demais para pouco conteúdo. Em 2011 tudo impressionou (E acho que qualquer merda que o SNSD lançasse em 2011 ia impressionar do mesmo jeito), mas hoje é tranquilamente uma das Title Tracks mais esquecíveis do grupo, que ainda deve deslumbrar muita gente mas não engana o viadinho pitchfork que comanda esse blog.

9 comentários em “Review Retrô: SNSD e o maior caso de fingimento coletivo da fanbase com “The Boys” (2011)

  1. The Boys, Party e My oh My = pior single do snsd.
    Eu até gosto do destaque que Sooyoung e Hyoyeon tiveram, mas só.
    Aquele remix que elas cantaram no programa de um velho americano é a melhor versão da música

    Curtir

  2. *conta as garotas na foto*

    Sete… oito… NOVE?? Ué, mas o SNSD não teve sempre oito integrantes, como elas e a SM dizem? Acho que foi aquela tal da ChanMi invadindo a foto pra poder dizer que é uma ex-SNSD.

    (contém sarcasmo)

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s