Whee In é um pouco menos “gatinha alternativa de bar” em “water color”

Dos solos do Mamamoo até então, a carreira da Whee In era a mais, huh, “alternativa”, com umas músicas que são mais pra você pensar sobre a vida sentada enquanto toma uma cerveja ao invés de pensar quicando até o chão como são os solos da Hwasa, por exemplo. Isso não quer dizer que não seja hit, só que não bomba tanto na minha playlist mesmo. Pensando na minha dor e sofrimento ela resolveu apostar em algo um pouco mais dançante para promover seu 1º mini-álbum “Redd”, e hoje ela lançou “water color”:

“water color” bebe muito do New Jack Swing que na Coreia bombou muito nos nomes da 1ª geração de K-pop e hoje em dia deve ser algo vintage. Ou seja, a Whee In não está deixando de servir música pra hipster na Coreia e, ao mesmo tempo, mira no público de trintonas e mais novinhas que curtem dançar um negocinho mais retrô. Divertido, se mantém na persona de barzinho que é a carreira dela e deu um jeito de ampliar seu público alvo.

Sobre a música, “water color” é agradável. Não é uma faixa que realmente me empolgou (Achei até que seria melhor pois amei o teaser), mas é uma música que vou lá, ouço de forma mais descompromissada, sinto o ritmo invadindo no meu corpo e eu fico curtindo no fone de ouvido e estalando os dedos. O destaque é a Whee In nos vocais pois ela é muito boa cantando desse jeito mais suave, não é ela sussurrando por 3 minutos e temos o mesmo efeito de prazer ouvindo. O instrumental no geral é menos marcante, mas acho muito legal no refrão. No geral não é uma faixa tão forte quanto os solos da Hwasa (Ou quanto “Easy” da própria Whee In), mas não senti que perdi meu tempo ouvindo.

“water color” não é a coisa mais memorável (Ou comentável) que alguém do Mamamoo poderia lançar, mas é legal ver a Whee In cantando algo mais dançante. Hwasão segue sendo a fodona do grupo lançando as músicas mais fortes sozinha, mas acho que esse é o ponto: A Hwasa é a diva pop fazendo música para as gays mais farofeiras que gostam de uma grande gostosa, e a Whee In é para aquelas que curtem algo mais intimista e feito para ouvir sentadinho mesmo.


Hidden gem: Butterfly (feat. GSoul)

Se “water color” não foi algo muito memorável, o EP não faz muito mais pois segue o R&B introspectivo e lento que eu espero da Whee In e de outras 350 solistas R&B na Coreia. O álbum inteiro é beeeem devagar, mas tem essa “Butterfly” que funciona muito comigo por quem está envolvido: Tanto Whee In quanto GSoul combinam MUITO com esse tipo de som, e você sente todas as emoções que os dois querem passar na música. Não é a coisa mais viciante, mas é uma música que te acerta quando você está naquele #mood mais melancólico.

3 comentários em “Whee In é um pouco menos “gatinha alternativa de bar” em “water color””

  1. Eu sei que o post é sobre a Whee In, mas pelo visto, o G.Soul tá determinado a ser o P. Diddy/Puff Daddy/Sean Combs da Coreia, já que entre 2019 e o começo desse ano, se chamava Golden e agora voltou pro nome artístico que usava antes de Golden. Mas enfim, espero que junto com o nome artístico, o deep house tenha voltado nele também

    Curtir

Os comentários estão desativados.