ALBUM REVIEW: TWICE – Taste Of Love

O TWICE decidiu lançar “Alcohol-Free” 2 dias antes do lançamento do álbum, numa jogada de marketing questionável do JYP dentro do K-pop. Isso me impediu de escolher uma gema escondida no comeback do grupo com “Alcohol-Free”, mas me empolgou a fazer um review do álbum quando ele saísse (Não só eu, como metade da blogosfera agilizou uma review do álbum na sexta feira mesmo). Então, hoje, vamos comentar sobre o que o TWICE entregou com o “Taste Of Love”. Segurar o álbum por dois dias valeu a pena? Tem alguma música melhor que “Alcohol-Free”? Afinal, qual é o sabor do amor?

TWICE - Taste of Love Lyrics and Tracklist | Genius

Artista: TWICE
Álbum: Taste Of Love
Lançamento: 11/06/2021
Gravadora: JYP Entertainment
Nota: 77/100

De 2019 pra cá o TWICE vem ganhando muita atenção pelos seus álbuns. Os singles podem não ser uma unanimidade, mas é notável como o grupo evoluiu e passou a entregar álbuns mais consistentes e que dão vontade de ouvir do início ao fim, seja em formato de EPs ou no álbum “Eyes Wide Open”, que eu não fiz uma review aqui no blog mas é um dos melhores álbuns lançados em 2020. Eu já estava ansioso pelo “Taste Of Love”, e o single maravilhoso lançado dois dias antes do álbum me deixou ainda mais animado.

Ouvindo o “Taste Of Love”, a primeira impressão que eu tive foi que “Alcohol-Free” parece meio… avulsa. O EP em si passeia por diferentes ritmos, indo do pop/dance ao disco e passando pelo synthpop e o R&B, mas todas as faixas tem sua conexão e parecem montadas para um único projeto, mas parece que o JYP queria um comeback de verão e pegou a primeira demo mais completa que ele tinha na gaveta para fechar o álbum. Isso não é tão problemático assim, mas atrapalha um pouco se pensarmos que “Alcohol-Free” não vende exatamente o conteúdo do álbum.

De qualquer forma, “Taste Of Love” é um trabalho sólido. Não tem faixas tão ousadas quanto o single e tem uma ou outra música que não é lá tão interessante assim (Nem chega a ser ruim, só esquecível mesmo), mas é um álbum forte no conjunto. As faixas do álbum constroem uma personalidade diferente do grupo, mais sério mas sem deixar a essência doce que é talvez a característica mais marcante do TWICE desde que o público no geral passou a aclamar o grupo, e isso faz do “Taste Of Love” algo único dentro da discografia. Isso não quer dizer que é o melhor EP do TWICE, mas quem acompanha as meninas há algum tempo deve sentir que esse álbum é marcante do seu próprio jeito.

O álbum começa com sua faixa principal “Alcohol-Free”, que eu ainda defendo como o melhor single de verão do TWICE. Elas acertaram muito se arriscando nessa bossa nova, combina com a estação e tem um clima refrescante e agradável, com uma letra divertida e leve que mostra como o TWICE vem amadurecendo aqui. Não é A farofa para os gays, mas é muito boa no que se propõe. Depois temos “First Time”, que ganhou atenção entre os onces pela canetada da Jihyo (Todas as album tracks nesse trabalho tem uma integrante creditada na letra, aliás) e até fora da fanbase fez um barulhinho por ser uma composição da Jade Thirlwall do Little Mix.

É um popzinho mais simples e carismático, mas a faixa no geral é menos memorável. Em especial o refrão me incomoda um pouco, mas acho que a música como um todo é só… ok. Me dá pouca vontade de aclamar essa faixa, então fica por isso mesmo.

“Scandal” é a 1ª faixa mais farofinha do EP com o TWICE lançando seu número disco pois é 2021 e todas tem que lançar um número disco por álbum. Não é a música mais inspirada desse estilo no K-pop, mas o que funciona em “Scandal” para mim é toda a aparição do teclado que dá um ar mais moderno para a música, especialmente no pós-refrão que deixa a faixa bem mais forte. O baixo clássico também é muito interessante, e transforma uma faixa mais comum em um algo especial. Já “Conversation” é outra faixa pop feita de batidinhas mais sutis, e de alguma forma me lembra “Into You” da Ariana Grande (Esse “little less conversation” do refrão, eu tenho certeza que a Sana escreveu querendo dar orgulho pra pequena Ari). É outra música que não tem muito o que comentar e acredito que a faixa seria melhor se durasse mais de 2 minutos e meio, mas eu curti o que ouvi aqui (O refrão em si é delicioso), então já tem mais pontos comigo do que “First Time”.

“Baby Blue Love” é outro grande destaque do álbum. Descrita como uma “mistura de Pop Dance com o R&B dos anos 90”, ela traz o instrumental mais vivo do álbum, que te dá aquela energia para eu dançar e cantar junto com elas, como se eu estivesse numa pista de dança arrasando com as meninas e sendo a mais gostosa da noite. E os “baby blue love” cantados pausadamente são geniais (O momento que eu mais amei nesse álbum). Toda essa animação que a música me dá faz eu cravar que “Baby Blue Love” é a melhor faixa do EP. Fechando o álbum temos “SOS”, synthpop da mais alta qualidade que seria fácil um single do TWICE entre 2019 e 2020. Normalmente os álbuns de K-pop costumam perder fôlego no final da tracklist, então fiquei surpreso das duas faixas mais excitantes fecharem o “Taste Of Love”, que tem seus altos e baixos mas encerrou com o que TWICE vem fazendo de melhor.

A edição física do CD ainda conta com a versão em inglês de “Cry For Me”. A música nunca fez muito por mim, então foi bom deixar como bonus track mesmo.

“Taste Of Love” traz um sabor doce e marcante em um álbum, mas “Alcohol-Free” bate de um jeito diferente das outras músicas, como se fossem dois trabalhos diferentes e separados um do outro. Na minha visão, isso acaba não vendendo tão bem o EP, pois quem não gostou de “Alcohol-Free” acaba não se interessando em ouvir o álbum e perdendo faixas mais redondas e deliciosas. Apesar disso, “Taste Of Love” é um álbum interessante que aumenta ainda mais o nível da discografia do TWICE, fazendo jus ao fato do grupo ser tão aclamado a cada lançamento.

6 comentários em “ALBUM REVIEW: TWICE – Taste Of Love”

  1. Baby Blue Love foi a minha favorita mesmo, ela da um animo. Eu tambem curti, e a mais fraca que achei foi justamente a que tu achou e parece que foi a mais preferida do povo de fora e das próprias membros do Twice_ vai entender_
    O povo pode tacar o pau nelas, mas que ultimente os mini tão bom, isso não podem negar.
    E continuando falando, acho que a única coisa que acho que liga Alcohol Free ao resto, é que sinto o resto do álbum um teor meio chique e suave. É o que senti.

    Curtir

  2. Dougie, eu tinha achado Alcohol Free ruim dms quando vi com o MV, mas ainda assim fui dar uma chance pro EP pq o TWICE tinha me surpreendido mt positivitamente com os mais recentes e olha, curti bastante o resultado.
    Alcohol Free me incomada no MV mas numa ouvida casual é mt boa, assim como o resto do EP. Só não curti mt Scandal, mas o resto curti bastante.
    Obrigado papai JYP por deixar as meninas terem mais poder nas suas músicas.

    Curtir

  3. SOS com toda certeza minha preferida do álbum, música que te dá vontade de dançar mesmo ela sendo mais calma, me lembra muito cenas de filmes com um casal clichê… enfim, eu sempre vejo as músicas dos álbuns mesmo não gostando da música principal Ksksksk, me surpreendi muito com este, não tava esperando mesmo, já que fui bem desacreditada.

    Curtir

  4. Só uma correção,I Can’t Stop Me não é o nome do álbum,Eyes Wide Open é o nome do álbum.
    Quanto ao Taste Of Love,SOS é minha favorita e todas as tracks são bem melhores que Alchool Free.

    Curtir

Os comentários estão encerrados.