Chanmina Minaj desovou duas novas parcerias nos últimos dias para alegrar o Japão

Chanmina aos poucos vem alimentando sua carreira com participações especiais, mostrando collab a collab que é mesmo a grande gostosa que o Japão tem que fazer acontecer. No mês passado a Chanmina participou do remix de “Best Friend” junto com Saweetie, Doja Cat e Jamie, e esse mês ela lançou duas parcerias em território japonês que serão comentadas aqui:

A primeira delas é “Racin”, pré-lançamento do álbum do AK-69 “The Race”, que é o trapzão foda badass da vez. Se não rolasse os barulhos de carro acelerando (Afinal, “Racin'”, “The Race”, “Corrida”, “Carros”… Entenderam?) isso seria fácil um trap daquele álbum de traps da Ariana Grande ao invés desse trap-pra-hetero-ouvir, mas é uma música legal. Chanmina serve seu rap geladinho na 2ª leva de versos e canta o refrão com um monte de “vadia” pois ela é a gostosa mais gostosa da região. É o que a gente ouve da Chanmina música sim música não, mas ainda é uma boa parceria entre rappers japoneses.

A segunda (E a grande surpresa aqui) é “Kyashana Lip”, parceria da Chanmina com a banda Genie High e um desses pop/rock com influências de jazz de barzinho que toda banda japonesa lança mas não é muito comum na vida da Chanmina. Tanto que nem rola um rap icônico aqui, a Chanmina faz um dueto com a vocalista do Genie High e mostra que também serve vocais como ninguém. O timbre da Chanmina combina perfeitamente com o instrumental e é um contraste perfeito com a voz mais suave da Ikkyu Nakajima, dando um tom mais agressivo e fora do esperado de um pop/rock desses. E o MV emulando um hotel ficou bem legal também, a cor vermelha é bem chamativa e memorável e a Chanmina está estourando de gostosa nesse look (A roupa de banho e o pijamão da Nakajima estão on point também).

No final temos uma faixa bem legal e dentro do que se espera da Chanmina (Racin’) e uma faixa AINDA MELHOR e supreendente dentro do que espero dela (Kyashana Lip). Longe de ser a primeira vez que a Chanmina deixa o rap um pouco de lado e serve vocais, mas é sempre surpreendente e agradável ouvir a Chanmina cantando essas faixas mais soft. De qualquer forma, temos mais um post divulgando e enaltecendo a cantora na vã esperança do Japão fazer a gata bombar de vez no mainstream. Uma hora vem, eu acredito.