Do pior ao melhor: Ranqueando os singles do Lovelyz

Na última semana saiu a notícia que o pessoal meio que já esperava: Lovelyz bateu as botas e só Babysoul continua contando história na Woollim, enquanto todas as outras vão seguir seus sonhos brilhando em algum programa de variedades fundo de quintal ou em alguma cafeteria familiar da Coreia do Sul. Para celebrarmos uma carreira de poucos hits mas muita qualidade, vamos a mais um momento de ranquear todos os singles de grupos mortos e redescobrir os lançamentos do Lovelyz nesses 7 anos de grupo:

Tier D — Ruim/Horrível

Nenhum

*BOOM* para o Lovelyz não aparecendo em nenhum momento com algum single ruim na opinião do blog de k-pop mais conceituado da internet (rs). E muito disso é por conta da escolha de instrumentais que a Woollim fez para o grupo é uma das melhores dos girlgroups. Não somente pelos instrumentais em si, mas o conjunto da obra é extremamente coeso e impressionante de se ouvir na maior parte do tempo. Claro, rola um ou outro momento mais genérico pois nem todo girlgroup é de ferro, mas nada que eu abomine a ponto de considerar botar algo nessa parte do post. Um bom gosto que foi pouco apreciado (Lovelyz morreu como One Hit Wonder), mas que seja feita justiça pelo menos por aqui: Lovelyz não tem um single ruim.

Tier C — Mais ou Menos

That Day

Lovelyz pode não ter um single ruim na discografia, mas tem algumas coisas que são beeeem qualquer coisa dentro da atmosfera do grupo (E até do próprio conceito aegyo). “That Day” é um exemplo disso, sendo uma música fofinha que um girlgroup nugu lançaria e ninguém lembraria em 2 dias ou a MNET compraria para servir de missão em alguma etapa de algum Produce. Pontos para o instrumental mais animadinho, mas o Lovelyz já tinha feito tanta coisa MELHOR a essa altura que a fonte de synthpops ótimos parecia ter secado e eles foram com a 1ª coisa mais fofinha que acharam na gaveta da Woollim.

Wag-Zak

Isso aqui definitivamente é um single de verão. Quer dizer, elas pegaram toda e qualquer ideia que um single de verão possuia no K-pop daquela época (a.k.a vamos atochar essa música de todos os sintetizadores de tropical house possíveis) e saiu o pop de verão mais genérico possível. Nada que seja pavoroso e, afinal, é só um single especial de verão no fim do dia, mas é um dos singles de verão mais esquecíveis que já ouvi.

Tier B — Bom

Hi~

No início da carreira o Lovelyz tinha uma certa mania de lançar singles “especiais” que vinham logo depois dos seus álbuns. “Hi~” é um desses exemplos sendo lançada para relançar o “Girls’ Invasion”, e transmite bem a energia do debut com mais aegyo inocente e mágico de estudantes coreanas. Destaque para o instrumental um pouco mais vivo e dramático que dá um certo pulso para a música, mas ela me parece meio comum demais nessa zona aegyo. “Hi~” é um bom single avulso no final do dia, mas nada que qualquer grupo aegyo não faça em um comeback nesse estilo também.

For You

Já essa daqui é um single de presente para os fãs e, ao mesmo, a “graduação” do conceito colegial do Lovelyz no início de carreira. “For You” é uma boa faixa, com um instrumental e um vídeo bem brilhante e vivo para um single lançado perto do natal, mas sofre do mesmo mal de ser uma música que qualquer GFRIEND lançaria na época, e isso acaba tirando um pouco da magia desse single. De qualquer forma, é um presente para os fãs muito melhor do que muitas outras porcarias para os fãs que os grupos de K-pop costumam desovar por aí.

Now, We

“Now, We” é o início do grande problema dos singles mais fracos do Lovelyz: A música parece mais uma emulação do que elas já fizeram melhor antes. É fofinho, o instrumental é bonitinho, os vocais são bonitinhos e é só isso mesmo. O que dá um pouco de vida a essa música é o refrão mais funky e upbeat que é bem legal, mas nada que torne a faixa memorável ou que me faça preferir ouvir ela a outros singles do grupo. “Now, We” é uma faixa legal, mas é um meio que “tanto faz” para a carreira do Lovelyz.

Lost N Found

Acho que essa é a 1ª tentativa de amadurecimento conceitual do Lovelyz, que deixaram de ser meninas sofrendo fofas pelo primeiro amor e agora são jovens adultas de vestidos feios cantando sobre ainda estarem apaixonadas. O início da música é promissor, mas aí tudo vira uma salada: Uma hora é dramático demais, na outra é suave demais, aí fica fofinho demais e por aí vai. O resultado é uma boa música onde toda toda essa zona ainda cria uma bela melodia (E vocalmente é o melhor trabalho do Lovelyz em anos também), mas não é uma faixa que me faça sentir encantado pelo grupo como as músicas em Tiers acima desse post.

Tier A — Ótimo

Ah-Choo

E chegamos no único grande hit do grupo. “Ah-Choo” nada mais é do que uma “Candy Jelly Love” repaginada, sendo mais dançante em termos de música e mais bobinha em termos de conceito. Tem algo nessa música que não me faz achar perfeita (Acho que é quando a música aumenta um tom no final e fica meio irritante de escutar), mas nossa que instrumental incrível. Quando eu era apenas uma gay farofeira cansada de aegyo no K-pop eu não notava o quão gostoso era ouvir faixas como essa, que trazem um som relaxante e delicioso para qualquer ouvinte. Lovelyz foi um grupo muito forte quando acertava nesses synthpop adoráveis.

WoW!

“WoW!” traz uma mudança de chave mais sutil para o Lovelyz, apostando numa guitarrinha e em uma melodia mais pop ao invés dos sintetizadores orquestrados de antes. Nada que tire a energia inocente da música, só é um pouco mais fora da casinha do grupo mesmo. “WoW!” na época foi um alívio pois era realmente diferente e interessante ver o Lovelyz um pouco menos, digamos, “sofisticado” e mais divertido dentro de sua própria zona aegyo, e hoje em dia ainda é uma ótima faixa tanto pelos seus versos mais funky quanto pelo seu synth clássico do refrão. As músicas do Lovelyz se beneficiam por me lembrar que não precisamos de batidões fortes para criar músicas fortes, e “WoW!” é um ótimo exemplo disso.

Twinkle

Boa parte desse instrumental não ironicamente poderia ser um instrumental que o Nakata produziria para Kyary Pamyu Pamyu lá nos primeiros anos de carreira da gata, e é por isso mesmo que eu acho essa aqui ótima hoje em dia. Provavelmente eu tenha achado ela bem sem graça na época que lançou, mas não dá: O Lovelyz tem o melhor conjunto de instrumentais da geração, transformando faixas fofinhas em ótimos exemplos de como fazer aegyo. E isso em um single de natal/inverno (!!!!), o que deixa essa música ainda mais impressionante.

Beautiful Days

Em 2019 eu já estava meio que de saco cheio do Lovelyz girar em torno delas mesmas com músicas que soavam como versões mais fracas e sem muita inspiração delas mesmas, então não dei a atenção que “Beautiful Days” (Ou “When We Were Us”, dependendo de onde você faça a sua busca pela música) merecia na época. Hoje, revisitando e redescobrindo os singles do grupo, eu fiquei simplesmente encantado por essa bela canção. Tudo que parece perdido no comeback anterior (Lost N Found) é corrigido aqui, e é o tipo de pop vibrante e dramático que toda gay ama ouvir. Longe de ser uma produção do Sweetune para um KARA da vida, mas “Beautiful Days” é uma faixa excitante e emocionante.

Tier S — Perfeito

Candy Jelly Love

De todos os debuts mais fofinhos que o K-pop me proporcionou até hoje, acho que “Candy Jelly Love” é o mais perfeitinho. Talvez seja só o meu debut aegyo favorito ou de fato é o melhor debut nesse conceito, mas “Candy Jelly Love” é perfeita aos meus olhos. A música transmite muito bem essa energia mágica e inocente do primeiro amor, e a performance das meninas (Tanto vocalmente quanto em vídeo) eleva essa experiência a um outro nível. Ouvir “Candy Jelly Love” é prazeroso demais até os dias atuais, pois é uma música que se recusa a envelhecer.

Destiny

Eu já tive muita resistência a “Destiny” antes a ponto de não entender o hype em cima dessa música, mas quando eu me rendi a música ficou bem claro: É o single mais forte da carreira do Lovelyz. A delicadeza dos vocais doces e da orquestra no instrumental intenso e dramático fazem de “Destiny” um single especialmente forte. É uma música única, e eu só consigo pensar o quão incrível e genial foram os responsáveis por uma música tão encantadora e hipnotizante como essa. Sem dúvidas o melhor single do Lovelyz na carreira delas.

Obliviate

E chegamos na “I’m So Sick” do Lovelyz, que é onde o Lovelyz deixa qualquer vestígio de inocencia para trás e investe em um farofão house. É uma farofa house que todo grupo da 3ª geração no 2º e 3º escalão de popularidade do K-pop vem lançando? Sim, mas é um dos melhores (Se não O melhor) farofão house dessa recente leva. E toda vez que ouço fico cada vez mais encantado por toda a intensidade dos vocais e do instrumental, com as nuances perfeitas e cada segundo sendo de extrema sofisticação e força. Uma pena que “Obliviate” não hitou o suficiente para manter o Lovelyz vivo, mas pelo menos fez o grupo fechar com chave de ouro.

Para mais celebrações da vida de girlgroups mortos pela maldição dos 7 anos, siga o Pop Asiático.jpg no twitter: @popasiaticojpg. Ou então clique aqui e ajude esse blogueiro a não parar no SERASA como um ou outro grupo que anda capengando para não morrer também.

8 comentários em “Do pior ao melhor: Ranqueando os singles do Lovelyz”

  1. Eu não consigo entender como a empresa deixou esse grupo morrer na praia, elas tem b-sides incríveis, vocais fortes, integrantes carismáticas, etc (LABOUM segue firme e forte, não sei COMO). Tenho muito carinho por Candy Jelly Love e também acho perfeita. Que saudade do meu cute concept. Agora, é só mina fodona, girl crush, não me odeie porque eu sou bonita, esse tipo de coisa. NEM sexy concept existe mais. STAYC, eu deixo em suas mãos.

    Curtir

    1. Eu simplesmente ano for you pq realmente parece um agradecimento delas aos fãs, ao invés de ser uma música que não passou pro álbum e decidirmos lança-la.

      Curtir

  2. Eu não gostava do lado aegyo white, eram pouquissimos mesmo que conseguia curtir. Mas com o passar dos tempos passei a respeitar e ver que o Lovelyz era o que melhor se propunha a fazer, e tornando sua marca registrada e mvs legais, me recordo quando lançou Ah Choo e Destiny ficava cantarolando o dia todo ou quando caia na minha playlist aleatória.
    Sinceramente da uma pena o tamanho descaso dessa empresa, principalmente com ggs. Pois Lovelyz poderia ser bem maior. Os coreanos curtiam as membros caras, qual o grupo hoje em dia pena pra conquistar a fanbase asiática_ e sabemos que isso é bem mais importante, pois fanbase internacional não dá sinônimo de continuidade do grupo_ é muito decepcionante no final das contas.
    PS. Ainda tive que aturar as fãzinhas novatas de kpop desmerecendo o grupo na minha timeline, e desmerecendo por conta de não serem modinha.

    Curtir

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: