Jolin Tsai deixa de fazer bolos para matar homens nos vídeos de “Lady In Red” e “Karma”

Jolin Tsai segue divulgando seu álbum “UGLY BEAUTY”, lançado no final de dezembro do ano passado. E enquanto os fãs seguem esperando o vídeo da fan favorite “Sweet Guilty Pleasure”, Jolin segue cagando pra eles (Na verdade deve lançar para finalizar as divulgações mesmo) e lançou MVs para outras duas faixas icônicas do disco, “Lady In Red” em abril e “Karma” na última semana:

“Lady In Red” traz Jolin num clássico roteiro de “Mulher traída em busca de vingança”. No vídeo Jolin descobre que o seu noivo está a traindo com sua melhor amiga, mas a história mostra que a melhor amiga tinha muita inveja de Jolin por conta dela ganhar tudo na vida, enquanto a amiga ficava apenas com o que a cantora compartilhava. Então a amiga revela que ela já ficava com o noivo da Jolin muito tempo antes do noivado, e o casamento foi uma forma dela finalmente “Retribuir” tudo que Jolin fez dando o homem para ela. Então Jolin resolve se vingar dos dois, arrancando a cabeça da melhor amiga com o seu vestido de noiva e fazendo parecer que o noivo arrancou sua cabeça. No final o noivo vai para a Guilhotina, perde sua cabeça e Jolin sai disso tudo linda, viva e saudável.

Toda essa história é muito bem ilustrada com vários efeitos e visuais chocantes, numa direção impecável e elementos que trazem uma força impacto ainda maior e que combina com a música em si, bem pesada e que traz um forte choque ao ouvinte. O charme da faixa é elevado em um outro nível com o MV, que traz cenas exuberantes e alguns TW como decepamento e estupro, sendo até sinalizado como não recomendado para menores de idade, mas o trabalho ficou perfeito do início ao fim, sendo um dos MVs mais fortes da atual era de Jolin.

Já Karma é uma grande adaptação e homenagem para a “Rainha de Anatahan”. Vocês podem ler a história completa sobre o caso Anatahan e o que inspirou o MV de Karma nesse post, mas em resumo:

Durante a 2ª guerra mundial um barco de pesca confiscado pela marinha japonesa foi afundado pela armada americana. Desse barco, 31 homens japoneses sobreviventes aportaram em Anatahan, uma ilha que era habitada por alguns nativos, um engenheiro agrônomo e sua esposa Kazuko Higa, figura principal da história. No início todos batalhavam para sobreviver na ilha, mas conforme eles foram se adaptando na ilha, a vida havia ficado mais fácil e ociosa. Então os 32 homens (31 sobreviventes + O engenheiro agrônomo) passaram a lutar pela única mulher da ilha. Kazuko então foi violentada diversas vezes e obrigada a “se casar” de tempos e tempos com esses homens, e tudo isso acontecia sob liderança de dois sobreviventes que possuíam armas.

Durante toda essa história envolvendo poder e domínio sob a ilha e Kazuko acontecem várias mortes misteriosas, entre assassinatos e estranhos acidentes, e isso ocorre até o resgate de Kazuko e, posteriormente, dos 19 sobreviventes que restaram na ilha. Como os homens se negavam em contar o que aconteceu na ilha, esse caso entrou para a história criminal japonesa como “não solucionado e com muitos mistérios”, e os homens sobreviventes não foram devidamente investigados, nem tiveram suas identidades reveladas.

O vídeo mostra uma visão de Kazuko e o que acontecia com ela na ilha, indo nos casamentos forçados, as violências que ela sofreu na ilha, as disputas e a forma de como os homens a faziam de “Troféu”, e o que ela acabou fazendo para sobreviver naquelas condições. O vídeo também conta com uma direção impecável e é lindo visualmente, mas perde um pouco do apelo sem todo o contexto do caso. De qualquer forma, essa é Jolin mais uma vez trazendo cultura para seus fãs retratando mais um caso da história asiática.

Mais uma vez Jolin Tsai segue se mostrando um exemplo ao carregar o Mandopop fora da Ásia nas costas. Dificilmente você vai encontrar alguma recomendação de C-pop por aqui que não envolva o nome da Jolin (Isso quando as recomendações não são SÓ a cantora), e esses dois MVs (E o UGLY BEAUTY como um todo) mostram o porquê de tamanha aclamação. Jolin mostra conteúdo, cultura e passa diversas mensagens fortes e bem desenvolvidas para o seu público, e merece todo o reconhecimento que recebe. Na verdade, se não fosse pelas limitações que uma artista de Taiwan possui para ampliar seu público (Além daquelas barreiras que Jolin já superou ao redor da Ásia), Jolin poderia ser facilmente uma das cantoras mais populares e importantes ao redor do mundo, porque material para isso ela vem entregando em todo momento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s