MAX está de volta depois de 4 anos e 1 aposentadoria da Namie Amuro com “Parthenon”

Acho muito conveniente a avex voltar a dar uma foda pro MAX meses depois de Namie Amuro se aposentar de vez da música, mas a minha alma cacura de 22 anos está pouco se importando com isso pois as véias mais malandras do Japão finalmente lançaram a versão curta do PV de “Parthenon”, single que marca o retorno do grupo após quase 4 anos:

Para quem não viveu o auge de blogs rampeiros de Asian Pop como Asian Mixtape e Why, Dougie? (hey, that’s me!) e está conhecendo agora o grupo, originalmente as fofas do MAX começaram no Super Monkey’s, onde elas (basicamente) serviam como dançarinas enquanto Namie Amuro cantava as músicas do grupo sozinhas (Uns 10 anos depois os Estados Unidos roubaram esse glorioso conceito criando Nicole Scherzinger e as Pussycat Dolls). Quando o Super Monkey’s acabou para Namie Amuro se lançar como solista, as dançarinas também formaram um novo grupo, o MAX, e acabou fazendo muito sucesso na década de 90 com uma imagem mais sexy do que um idol group japonês habitual, coreografias quase esquizofrênicas e vários covers que marcaram o Eurodance no Japão, como a cataclísmica TORA TORA TORA.

Era regra no Japão dos anos 90 as gurias se vestirem como a sua tia solteirona se veste hoje em dia para ir em alguma balada sertaneja

O grupo afundou bem rápido nos anos 2000 e nunca mais conseguiu o sucesso de antes, mas em 2013 ganhou atenção por ter dado uma pausa no eurobeat e apostar na mania quase esquizofrênica do momento: a ZUMBA, o que rendeu alguns momentos gloriosos não só na carreira do MAX como na carreira equipe de edição dos PVs da avex/Sonic Groove.

A digievolução para TIAZONAS DA ZUMBA ❤

Isso fez o MAX lançar singles anualmente e se tornar relativamente ativo até o fim 2015, quando lançou uma daquelas coletâneas de fim de carreira que o Japão adora. Depois elas ficaram fazendo uns lives pontuais em boates nipônicas até chegar o ano de 2019, onde o grupo anunciou esse novo single “Parthenon” e um novo álbum “NEW EDITION II ~MAXIMUM HITS~”, que conta com regravações de grandes hits das meninas.

“Parthenon” revive o eurobeat classicão do grupo, aproveitando o revival que rolou no gênero em 2018 e apostando na nostalgia dos tiozões japoneses para milkar o fim da era Heisei com aquele papo de “Trazer um revival dos tempos de ouro da era Heisei e etc.” (Não tem nem dois meses que o Japão saiu da era anterior mas já tem muita gente disposta a tirar dinheiro em cima da era). Além disso o compositor de “Parthenon” é um dos integrantes do DA PUMP, que conseguiu um dos maiores hits de 2018 no Japão com “U.S.A”, dando mais buzz para esse comeback do MAX.

Esse vídeo é a representação visual do BTS se o grupo ainda existir daqui há uns 15 anos

Quem curte o eurobeat noventista vai curtir essa versão “repaginada” que é Parthenon, mas eu mesmo estou apreciando mais esse single por ser muito cadelinha do MAX mesmo do que a música em sim, que ainda assim é bem legal. Quando o single sair completo dia 26 já vou estar batendo cabelo do mesmo jeito, então estou bem satisfeito com o retorno do grupo.

4 comentários em “MAX está de volta depois de 4 anos e 1 aposentadoria da Namie Amuro com “Parthenon””

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s