CLC volta duas casas e lança o melhor single do grupo com “Devil”

CLC está de volta com seu 3º single no ano ainda na busca pelo single que vai fazer o grupo sair do limbo, e é interessante ver a insistência da Cube com o grupo esse ano (Vai ver eles não esperavam que o (G)I-DLE acontecesse logo no debut e agora voltaram a tentar com Sorn e as amigas). Mas quem achava que viria mais um single dark, pesado e trying to be powerful como vinha acontecendo em seus lançamentos anteriores (Ainda mais com um nome que sugere isso como “Devil”) acabou quebrando a cara com a CUBE insistindo nisso do grupo não ter conceito fixo:

Então, eu entendo a ideia de versatilidade que o grupo quer passar, mostrando que não tem problemas com os diferentes conceitos e características que K-pop possui, são pau pra toda obra e estão prontas para fazer qualquer coisa, aprecio a ideia (Muito embora mais pareça que a Cube tá tentando de tudo para conseguir tirar elas do Top 500 e ir direto pro #1) mas, toda vez que elas “resetam” e apostam em um novo conceito, elas acabam voltando pro zero, dificultando (ainda mais) o sucesso do grupo. O problema não é a teoria que é até bem intencionada e tenta trazer alguma ideia nova pro K-pop, mas quando executam isso a Coreia simplesmente não compra.

O que é uma pena para essa “Devil”, pois é o melhor single que elas lançaram esse ano. Isso não quer dizer muito pra mim já que “No” morreu muito rápido comigo (E ficou completamente dispensável depois de ouvir o EP e concluir que elas pegaram a pior música pra ser single) e “Me” segue mais ou menos esse caminho, mas de fato essa melodia mais funky funcionou demais e é contagiante. A música flui muito bem, o refrão é muito gostoso, tudo bem pop chiclete e grower deixando aquela vontade de ouvir mais e mais vezes. Acho que nunca senti algo assim por uma música do CLC, daquelas que eu só quero sair dançando pela casa e tudo mais, é muito cativante. O MV também é muito bom, o plot reciclado de Russian Roulette foi bem feito e a parte “color” do vídeo é incrível, mas a parte “dark” foi meio dispensável para mim. Acredito que funciona nessa ideia que o pessoal vem replicando de fundir o passado do grupo (Mais color pop e com cores vibrantes) com o presente (Mais dark com um figurinos e visuais mais escuros) mas essa 2ª paleta de cores não combinou em nada com a música. Se mantivessem o 1º esquema de cores mais colorido durante todo o MV teria casado melhor com a música e elevaria o nível do conjunto da obra.

“Devil” lembra muito os trabalhos mais de início de carreira do grupo, onde tudo levava essa pegada mais funky com elementos mais retrô mesclados em um pop mais moderninho, mas nesse caso ficou muito melhor. Elas meio que voltaram pro básico delas mas elevaram isso e entregaram uma música muito legal. Vai fazer elas saírem do ostracismo? Dificilmente, mas eu fiquei feliz com algum single desse grupo me empolgando pra valer. Com sorte é daí pra cima com e elas passam a vingar na minha playlist, pelo menos.

5 comentários em “CLC volta duas casas e lança o melhor single do grupo com “Devil””

  1. “(Vai ver eles não esperavam que o (G)I-DLE acontecesse logo no debut e agora voltaram a tentar com Sorn e as amigas)” acho que foi isso mesmo, considerando que depois de Black Dress elas sumiram até o g-idle ficar mais ou menos estabelecido… O que é irônico, pq até aqui tô achando o ano do CLC bem melhor que o delas. Soyeon ressuscitou os mortos só pra ser superada por eles

    Curtir

  2. Não achei a mudança de conceito muito abrupta, de alguma forma Devil casa com o que elas vem fazendo desde Black Dress… A pegada mais sexy e tal.
    O grupo se torna cada vez mais interessante a cada lançamento e percebemos isso com o aumento de fãs

    Curtir

  3. Elas perderam GOSTOSO a oportunidade de serem agente secretas gostosas vibe Bond girls com esse clipe, se era pra kibar um conceito da sm, que fosse hoot, e não Russian roulette

    Curtir

  4. Eu gostei bastante, e acho que a mudança de conceito não foi tão brusca e esquisita igual já fizeram antes (saindo de um girlpower pra um aeggyo), teve uma mudança grande, porém a letra ainda remete aos lançamentos mais fortes do grupo, e até o conceito remete um pouco… Eu gostei bastante, e até entendo a Cube ter mudado de novo o conceito, pq não acho que uma “No” e uma “Me” funcionariam no verão hehe…
    Enfim, ótimo post!

    Curtir

Os comentários estão desativados.