KARD está de volta com aquelas bobagens topzera de sempre em “RED MOON”

A essa altura desgostar de um lançamento do KARD nesse blog virou rotina, e que bom que o público daqui em grande maioria nem se importa em dar muita moral pras minhas reviews (Ou pro KARD mesmo), então eu tenho uma segurança em chamar as drogas que o KARD lança de droga e vocês irem ainda mais baixo no nível dos comentários. Dito isso, “RED MOON” é a melhor tentativa do KARD em tempos, sendo também o melhor single desde que o grupo largou o Tropical House de lado e resolveu simplesmente ser essa coisa tryhard que temos hoje:

Sendo justo, eu estava curtindo os primeiros 50 segundos da música e a vibe latina/reggaeton que eu, ingenuamente, achei que ia se esticar pela música toda. O refrão é aproveitável e é lógico que um dos machos que cantam com um ovo ia dividir o refrão com uma das gurias, mas até aí estava tudo bem… Até vir o “Switch it up” e tudo virar aquela bobagem tryhard de sempre no KARD. Os “Oh run baby run” até que servem um bom gancho mas dessa parte em diante é tudo tão previsível que fica chato pra mim. Eu até vou dar um desconto para essa música pois, no fim, ela é meio boa e meio triste de ouvir, e isso já é algo considerando aquela porcaria que foi o último single, né.

A real é que o KARD hoje em dia é o grupo que mais consegue servir uma vibe “hetero topzera” no K-pop (Tanto musicalmente quanto visualmente), e é algo que não é pra mim e dificilmente vai mudar (Seja por parte deles ou por minha parte). Sei lá, eu imagino tranquilamente um Justin Bieber lançando uma música dessas pesando um pouco mais no trap, e isso não é bom, sabe. Mas assim, tem muitos heteros topzera no mundo, então não dá pra negar que eles tem um público pra engajar com a sua discografia, mas eu mesmo prefiro esperar que a DSP também lembre de ressuscitar o April esse ano com a nova Oh My Mistake.


Hidden gem: ENEMY

Não sei se é novidade, mas finalmente o KARD resolveu fazer units por gênero para lançar umas musiquinhas. Isso também deixou bem evidente que, mesmo nesse template farofão topzera, a Somin e a Jiwoo conseguem segurar muito bem uma música delas, e as partes mais melódicas me lembram algum power ballad coreano bem bom que elas resolveram farofar, transformando tudo na música que mais gostei do EP. Pena que o machismo seguiu vencendo e foi a música horrorosa/hilária deles que ganhou um MV qualquer coisa feito num movie maker.

11 comentários em “KARD está de volta com aquelas bobagens topzera de sempre em “RED MOON””

  1. Pior que, comigo, foi justamente a virada de chave depois do “Switch it up” que tornou o single muito legal. Pra mim, já é a melhor deles desde 2017 (e talvez o segundo melhor capope desse ano até então, atrás só de Labirinto, das GFRIENDS?)

    Curtido por 2 pessoas

  2. Acho que é meio difícil considerar o KARD como “hétero topzera” considerando a caracterização do J.Seph nesse MV… ele tá absurdamente perua.

    Mas a música é bem melhor que Dumb Litty. Não que isso seja difícil. Mas ainda prefiro Bomb Bomb (e You In Me permanece como o ápice deles).

    Curtido por 1 pessoa

    1. Se serve de consolo, essas units nem são permanentes. O KARD já teve units mistas em EPs anteriores (se não me engano eram Somin/BM e Jiwoo/J.Seph), e não duvido que eventualmente também lancem músicas solo como B-sides.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s