Do pior ao melhor: Ranqueando os singles do After School

After School é um dos grupos mais icônicos da 2ª geração do K-pop, com qualquer senhora da fanbase lembrando de seus conceitos icônicos, músicas sensacionais e vídeos maravilhosos toda vez que quer humilhar algum grupo de novinhas atual que não tem nem metade da criatividade que General Kahi e suas comandadas tinham com 100 reais e um sonho. Como eu sou uma dessas senhoras e estou perto de pedir minha aposentadoria, vou fazer esse post exaltando a carreira desse grupo que no meu coração (E nos anúncios oficiais da Pledis a cada integrante que batia perna do grupo) ainda está vivo e pode lançar uma música nova a qualquer momento.

Tier D – Ruim/Horrível

Ah!

Não parece, mas o After School tem SIM uma música horrível no catálogo, sendo justamente o debut do grupo com “Ah!”. O problema de “Ah!” é que ela parece inacabada tanto no instrumental (Que hora é meio vazio e hora é só uma bagunça quente) mas principalmente nos vocais que não são muito fortes e sempre fica a sensação de que falta um ou dois vocais a mais para fazer acontecer. OK que as meninas que entraram depois não são lá grandes exemplos de vocalistas (Com exceção da Raina), mas deu pra corrigir essa impressão de grupo incompleto que o After School passava no debut.

Tier C – Mais ou Menos

Love Love Love

Eu poderia ignorar isso aqui facilmente levando em conta que nem os fãs lembram dessa música de natal e o MV só existe para valorizar o passe da UEE como a Meryl Streep da Coreia, mas a wikipedia botou ali como single e ainda tem um MV natalino para acompanhar, então fica aqui o registro de que essa é só mais uma música de natal mais ou menos só para não dar chance para alguém surgir reclamando que não comentei essa coisa esquecível aqui.

Shampoo

“Shampoo” nada mais é do que uma versão mais água com açúcar de “Because Of You”, a música assinatura do After School, e se eu já acho a versão original meio superestimada, esse remake mais fraquinho não conseguiria nada além de passável comigo. “Shampoo” é bonitinha no que se propõe, mas não é uma música que me lembra automaticamente o After School, e acaba passando longe da minha seleção toda vez que eu quero ouvir algo do grupo. Não chega ao nível de ser ruim, mas também não é algo que eu vou ouvir outras vezes.

Lady Luck

A mesma descrição de “Shampoo”, só que japonesa. A discografia de 2 álbuns do After School é matadora, uma das melhores (Se não A melhor) de um grupo de K-pop no Japão, e isso acaba prejudicando qualquer ligação que eu tenha com uma música tão… nada a ver com o grupo. Sozinha é uma música fofinha e dá para curtir sem problemas, mas ninguém vai querer ouvir o After School para bancar as fofinhas vendendo bolsa né.

Tier B – Bom

Because Of You

Eu gosto da ideia de “Because Of You” ser um baladão emotivo sem ser exatamente um baladão emotivo. Quer dizer, se elas cantassem essa música sentadas em um banquinho teria o mesmo efeito de música mais tocante e íntima, mas aí elas botaram um ritmo mais forte, uma coreografia interessante, terninhos e fizeram de “Because Of You” a faixa assinatura do grupo. Mas esse comeback nunca me empolgou tanto assim, sendo uma música boa com uma ideia legal por trás e só isso mesmo. Por mim o After School hitava no nível de “Because Of You” com 4 ou 5 músicas bem melhores que essa, mas fico feliz que esse comeback fez o grupo bancar as próprias marmitex.

Diva

O autotune aqui envelheceu pior do que os usos de autotune mais podres do 2NE1, mas “Diva” ainda funciona para mim. Talvez seja o carinho a mais que tenho por essa ser a música que me fez conhecer o grupo, mas “Diva” é o tipo de música bagaceira e divertida, com muitas coisas acontecendo ao mesmo e eu curtindo só pela bagunça. Além disso, qualquer farofão de grande gostosa é bem vindo na minha vida de jovem véia que não supera muitas coisas, então “Diva” acaba me dando esse divertidamente nostálgico que eu aprecio pra valer.

SHINE

Como faixa de “despedida” (Pois vamos lembrar que After School não deu disband), “SHINE” é uma graça. Ela cumpre bem o papel de midtempo emotiva e motivacional sobre você “brilhar como uma flor” (wtf), trazendo uma sensação de conforto e esperança para quem ouve. “SHINE” seria mais marcante se tivesse uma ideia legal que tirasse a música do lugar comum como fizeram com “Because Of You”, mas naquela altura do campeonato o After School nem estava tentando mais. Não é uma música que eu ouço sempre (Até porque a avex é uma VACA e não liberou o Dress To Kill e a coletânea japonesa delas no spotify), mas eu me sinto bem quando lembro de dar um play.

Tier A – Ótimo

Dilly Dally

Apesar de “Dilly Dally” não ter um PV próprio, a música foi single junto com “Lady Luck” (além de servir para vender uns Rexona no Japão). E que farofão delicioso esse, né?! O Japão sabia fazer uma farofa futurista como ninguém, e “Dilly Dally” é um ótimo exemplo com o instrumental incrível, vocais robóticos on point e o autotune na medida para não envelhecer com o tempo. Qualquer grupo de viados daria tudo para ter sua diva pop lançando “Dilly Dally”, mas só os 50 fãs de After School que lembram desse single que nem álbum foi parar são agraciados com “Dilly Dally”.

Heaven

A breve parceria do After School com o produtor japonês Shinichi Osawa é uma das mais amadas do K-pop fazendo turismo no Japão, e muito disso se deve ao LUXO que é “Heaven”. Classuda, a música se mantém nesse tom de música de provador da Riachuelo com lindas modelos desfilando e exibindo calça jeans no telão mas, ao mesmo tempo, é uma música sensual, sofisticada e dançante, servindo tanto para gays performarem sensualmente no pole dance quanto para ostentarem luxo e glamour no dia que o Vale Refeição cai na conta. Todo mundo sai ganhando aqui.

First Love

O grande ponto de “First Love” está no pole dance que, além de visualmente sensacional, é notavelmente complicado tanto pelas acrobacias quanto pelo fato delas formarem duplas para bater xana na mesma barra na metade do tempo. Sem isso a música acaba perdendo um pouco de força comigo, mas “First Love” ainda é uma das maiores midtempos sensuais do K-pop na época em que midtempo sensual era uma coisa pela Coreia. Os gemidos vocais das meninas estão no ponto, o batidão é delicioso e o refrão é a coisa mais prazerosa que o grupo já fez. Uma bela despedida do After School na Coreia.

Tier S – Lendário

Bang!

A mesma coisa de “First Love” pode ser comentada sobre “Bang!”: A ideia de banda marcial por trás desse comeback é icônica demais, valoriza o conjunto da obra e cria um trabalho final matador para a época. A diferença é que, sozinha, “Bang!” é uma música sensacional sozinha, e quando o pagodão começa eu me sinto poderosíssima pronta para acabar com sua vida e gritar “YASSSS KWEEENS” para o grupo mais criativo do K-pop. A desacelerada que a bridge dá é sensacional com Rainão dando seu nome nos vocais, e até o “rap” dessa música é memorável. “Bang!” é uma música que me empolga do início ao fim.

Rambling Girls

Mais uma dessa leva de “farofões futuristas” que o After School lançava no Japão, mas “Rambling Girls” eleva ao máximo isso, transformando uma simples faixa em um pancadão glorioso. Do primeiro ao último segundo “Rambling Girls” é uma faixa rebolativa e de bate cabelo para grandes gostosas mostrarem seu poder, e é basicamente isso que temos no PV de figurinos laminados. Graças a deusa a avex sabia que o apelo do After School estava nessas faixas onde elas são gostosonas que dançam se alisando e apostou nisso para criar um dos melhores farofões japoneses da década.

Shh!

“Xii xii xii xii xicret love”. A segunda parceria do After School com Shinichi Osawa mostrava que elas não estavam para brincar no Japão e queriam dar para os gays tudo que eles queriam na época (E querem até hoje): Mulheres de terno sensualizando em cima de um housezão safadíssimo. É imposssível ouvir essa música sem se sentir mais empoderada e poderosa depois de ouvir esse instrumental matador, os ganchos sensacionais e o refrão maravilhoso. Tudo nessa música é 10/10, e sem dúvida é um dos melhores singles que grandes gostosas coreanas serviram para o público japonês.

Flashback

A fanfavorite do grupo e não é a toa. De todos os usos abomináveis do dubstep no início da década passada, “Flashback” é um dos poucos que não só se salva como dá o climax ideal para uma faixa forte, provocante e envolvente (Especialmente no break que é uma das coisas mais icônicas do K-pop. O refrão é o melhor delas, os ganchos funcionam muito bem e a construção para chegar até lá é incrível, pois em nenhum momento dos versos a música desacelera e te mantém frenético, louco para saber o que vem depois. Simplesmente icônico.


Siga o Pop Asiático.jpg para mais posts exaltando grupos velhos que só gays acima dos 23 anos se importam hoje em dia: @popasiaticojpg. E se você gosta do blog e quer deixar uma gorjeta para apoiar essa pequena bagunça que um humilde blogueirinho faz na internet, faz um pix aí para mim (Chave: dougielogic@gmail.com)

3 comentários em “Do pior ao melhor: Ranqueando os singles do After School”

Os comentários estão desativados.