Refund Sisters junta 4 gostosonas para um revival do K-pop 2000 com “Don’t Touch me”

Já tem quase 3 semanas que o Refund Sisters lançou “Don’t Touch Me”, e embora esse seja meu vício até hoje, resolvi não comentar muito porque queria esperar o MV. E ele demorou… demorou… demorou e eu quase desisti dele até que *BOOM* elas lançaram o video hoje e está muito bom:

O Refund Sisters, para quem não sabe, é um projeto formado em um dos 452 programas do Yoo Jae Suk (“Hangout With Yoo”), seguindo os mesmos moldes do SSAK3. No caso, a Lee Hyori falou nesse programa que o girlgroup dos sonhos dela envolvia a própria, a Hwasa do Mamamoo, a Jessi e a Uhm Jung Hwa (A fodona dos anos 90 no K-pop e que meio que começou essa coisa toda de cantar música pop em coreano como a gente conhece hoje). O que eu acredito que a Hyori não levava fé é que as citadas se empolgassem com a ideia e falassem “Nossa, é uma ótima ideia, quando vamos nos juntar unnie?” e ela deve ter pensado “Puta merda agora vou ter que continuar trabalhando em Seul” e, bem, assim nasceu o Refund Sisters.

Semanalmente as 4 se juntavam no Hangout With Yoo para trabalhar na música nova, mostrando as gravações, coreografia e todos esses bastidores de gravação. No dia 10 de outubro a música “Don’t Touch Me” foi lançada, alcançando o #1 nos charts instantaneamente e batendo vários recordes de girlgroups pela Coreia. No dia 17 foi no ar a live especial para o Music Core, no dia 21 elas lançaram o teaser do MV e hoje ganhamos o MV. Não sei a razão de demorarem tanto para lançar o bendito vídeo, mas o importante é que saiu e podemos comentar o pacote completo.

Live de “Don’t Touch Me” no Music Core

Se o SSAK3 reviveu toda aquela nostalgia dos anos 90 no K-pop, “Don’t Touch Me” fez o Refund Sisters reviver o típico K-pop de grande gostosa dos anos 2000. Se você é uma dessas gatinhas que conheceu o K-pop em 2014 e acha que pra ser solista no K-pop tem que passar uns anos carregando algum girlgroup nas costas, saiba que lá pelos anos 2000 (Onde a cultura de grupos não era tão forte assim na indústria) existiam muitas gatinhas que se arriscavam em se tornar as novas divas pop da indústria coreana na época. E as músicas eram exatamente nesse nível: Popzões com batidas fierce, retiradas de algum álbum da Britney Spears ou Jennifer Lopez (Dependia se a ideia era ser a grande gostosa das periferias de Seul ou a loira mais saliente de Gangnam) e letras que iam de “Sou gostosona demais pra você” e “Estou com muito tesão, transe comigo”. As escolhas de produção poderiam até ser duvidosas, mas elas estavam sendo maravilhosas ali mesmo então tá valendo.

Alguns exemplos de gostosas que carregavam o K-pop sendo gostosas nos anos 2000

“Don’t Touch Me” segue a mesma ideia mas com uma produção mais moderna e refinada, afinal é 2020 né. No final isso foi uma ótima ideia já que 3 das 4 integrantes já estavam causando na indústria (Seja plagiando algum single da Britney Spears na cara dura ou chamando o SNSD de grupo pra viadinho) e acabou combinando com todo mundo (Mesmo com as vozes totalmente diferentes e claramente não adaptadas para um girlgroup, do tipo “Cada uma por si e boa sorte pra música”). Eu adoro o refrão disso e as partes da Uhm Jung Hwa no geral, mas a música toda é bem forte no geral. Claro que isso é pra mim, que sou um fã hardcore da Hyori e aclama qualquer merda que ela se envolve (E não é todo dia que ela resolve lançar música né), mas ainda acho um popzão delicioso que vocês já curtiram (Ou ainda devem curtir).

O MV também segue a ideia delas sendo gostosonas e poderosas em cenários fortes e elementos que valorizem essa energia fierce da música. Lindíssimo na maior parte do tempo mas com umas escolhas bem duvidosas de execução (As luzes estouradas e engolindo as integrantes, nada é tão K-pop de virada de década quanto isso).

Destaque para essa cena logo no início do vídeo, com a Uhm Jung Hwa lá no alto parindo as outras, claramente dizendo “Eu sou a fodona que pariu tudo que vocês conhecem do K-pop, bow down”. Eu AMEI que fizeram isso pois é (quase) sempre bom lembrar quem é que começou com tudo isso, né?!

E a Lee Hyori na moto, pois a regra de 2020 é: Se você quer ser uma gostosona, tem que ser uma gostosona em cima de uma moto. E olha que ela tentou se sabotar com esse cabelo de gema estourada saído dos sonhos mais salientes de algum fã da Koda Kumi nos anos 2000, mas não tem como deixar essa lenda feia. como um todo esse MV é uma boa para quem gosta de MVs sem história com 4 minutos de mulheres de diferentes gerações mostrando que são maravilhosas pra câmera.

Eu ainda sigo viciado em “Don’t Touch Me”, seja por biasismo ou por ser um dos grandes destaques de 2020 pra mim. Tem aquele gostinho de velharia anos 2000 que traz todos os erros e acertos daquela época, mas eu amo pop 2000, amo muita coisa que a Coreia desovou nessa época e não tenho como recusar essa delícia aqui. Talvez você não curta tanto quanto eu, mas não dá pra negar que isso diverte mais do que muita coisa sendo desovada recentemente no K-pop.

2 comentários em “Refund Sisters junta 4 gostosonas para um revival do K-pop 2000 com “Don’t Touch me””

  1. Fala sobre o Aespa. Vão fazer até o negócio de avatar das meninas.
    Acho que depois dessa o snsd já deve seguir o caminho do Fx.
    Deu disband mas ninguém vai se pronunciar.

    Curtir

  2. A música é maravilhosa e a tendência é ela crescer em mim, parece algo que o Timbaland produziria. Quanto à parte da Uhm Jung Hwa içada “parindo” as outras, só me fez lembrar disso aqui:

    Curtir

Os comentários estão desativados.