Top Top.jpg: Os meus 10 Mvs favoritos do Asian Pop

Quem lê esse blog já deve ter notado que não dou muita moral para os MVs na hora de comentar os lançamentos aqui (Seja para elogiar ou descer o pau), e acho que isso despertou a curiosidade de alguns que querem saber quais são os MVs que mais gosto. Então eu resolvi fazer esse Top Top.jpg de hoje baseado na minha playlist de vídeos asiáticos, e coloquei aqui os 10 vídeos que eu mais gosto de ver. Não são necessariamente os que mais assisti ou os melhores MVs da história, mas são vídeos que assisto até hoje e fico impactado, abismado e babando com tanto conceito, coesão, estética e aclamação. Vamos lá?!

10º lugar — Namie Amuro – Go Round

Assista o PV completo AQUI pois a Namie é uma safada que nunca vai liberar a videografia no YouTube

Desde que Namie Amuro passou se empenhar em botar o mínimo de esforço possível em seus PVs, coube aos diretores e equipe criativa da avex se virarem nos 30 para oferecer algum entretenimento e não fazer a gente pensar que estamos assistindo o mesmo PV da véia dando 2 passos pro lado e fazendo carão. E em “Go Round” temos o exemplo mais glorioso de que dava muito certo, pois toda a ideia de transformar Namie no ÁS DE ESPADAS no meio desse labirinto mental que o PV representa ficou luxuosa e magnífica, entregando a melhor estética em PVs da Namie. Além disso TUDO é muito refinado e chamativo, desde os destaques do vídeo como o CGI lindíssimo e a paleta de cores extremamente marcante até pequenos detalhes como o piso espelhado que cria desenhos incríveis dos dançarinos e a jaqueta da Namie com o pattern quase estourando a definição do vídeo. É tudo muito bom, fazendo desse o meu vídeo favorito de uma das minhas cantoras favoritas.

9º lugar — Jane Zhang – Dust My Shoulders Off

Todo o MV de “Dust My Shoulders Off” recria momentos e quadros clássicos da arte onde Jane Zhang interage de diferentes formas com as situações que cada figura traz. Isso seria uma ideia simples, mas a ideia foi elevada ao extremo e Jane Zhang vira arte DE FATO, se aprofundando nas obras e usando todas as texturas, cores e características de cada quadro para que ela faça parte de todo o ambiente, resultando em uma das estéticas mais impressionantes em um vídeo musical. Tudo nesse vídeo é uma obra de arte (literalmente), um deleite visual onde você começa assistindo normalmente e termina PHD em história da arte. Quando uma ideia aparentemente simples é recheada com outras ideias que deixam o pacote ainda mais completo e luxuoso, MVs grandiosos como o de “Dust My Shoulders Off” surgem.

8º lugar — AKB48 – Beginner (Original Ver.)

Um aviso: Rola umas mortes e imagens bem pesadas que podem causar um desconforto vendo. Se você é sensível a esse tipo de coisa, vai com cuidado aqui.

Mais do que um PV impressionante, “Beginner” é um PV que qualquer um que conhece AKB48 mais por cima não imaginaria ver o grupo lançando. O próprio vídeo original virou um grande mito no J-pop já que ele foi proibido de ser transmitido no Japão e o vídeo “oficial” virou esse MV que mistura Dance Ver. com Making Of, e assistindo o vídeo dá para imaginar o motivo: As meninas são conectadas em um jogo de vida ou morte com vários objetos não identificados atacando as meninas sem piedade (Sim, é um vídeo criticando a postura de ataques anôninos que o AKB recebia na internet). As decapitações, esmagamentos e outras mortes são tão explícitas que chegam a dar um arrepio assistindo, e quando chega a Maeda Atsuko gritando de dor no grande climax do vídeo ele fica surreal de tão bom. “Beginner” já é um PV bom sozinho, mas fica ainda melhor vendo o quão fora da curva e das expectativas em cima do AKB48 ele é.

7º lugar — Wonder Girls – I Feel You

Wonder Girls sempre foi um dos nomes mais comprometidos em vender o conceito retrô, mas o que impressiona em “I Feel You” é a dedicação em te convencer que você está assistindo um MV de 1987 e não de 2015. E tudo nele grita anos 80: Os cenários de séries da época, os visuais das integrantes acompanham o mesmo embalo de figurinos que retratam aquela época (Especialmente os maiôs), o fato de montarem uma banda para emular as bandas de synthpop daquela época, os efeitos visuais e até a proporção do vídeo 4:3 chamam a atenção para um vídeo desenhado detalhadamente para reviver os anos 80 em todos aqueles que viveram (Ou não) aquela época. Aqui é a mesma situação de “Dust My Shoulders Off”: Eu fiquei maravilhado em ver como uma ideia simples foi trabalhada da forma mais high profile possível, e tudo que eu faço é admirar cada frame de “I Feel You”.

6º lugar — charisma.com – Subliminal Diet

O que difere “Subliminal Diet” de 99% dos outros vídeos com mensagem de “Se ame independente do seu corpo” é que ele não tenta ser bonitinho na hora de falar isso, e sim te mandar a real. Gonchi e Itsuka estão batendo na minha cara falando que esses métodos e dietas milagrosas que prometem secar gordura não funcionam e só te destroem, então PARE de achar que pesar 40kg e ter IMC 14 é sinônimo de ser bonita e saudável e faça uma limpeza na sua mente, para se aceitar do jeito que você é e não cair em qualquer marketing falido que você vê na TV. “Subliminal Diet” é uma crítica REAL e ÚNICA em cima de todo uma indústria que lucra em cima da fragilidade humana, e por isso mesmo é tão impactante para mim.

5º lugar — Ayumi Hamasaki – ourselves

Na primeira vez que você assiste “ourselves”, é fácil entender que Ayu está fazendo uma crítica foda em cima da indústria e da forma como ela foi moldada. Por si só essa ideia não é exatamente incomum, mas entender o que passou nos primeiros anos de carreira dela amplia todo o conceito do PV: A primeira coletânea da Ayu “A BEST” não foi feita por vontade da cantora mas sim da gravadora, e isso mostrava a forma como ela estava presa e a mercê de qualquer vontade da avex sob sua carreira. “ourselves” acaba sendo mais do que uma simples crítica ao sistema, mas algo extremamente pessoal da Ayu onde a mesma se insere na crítica, se expõe como vítima e quer mostrar que ela vai além do que o rostinho inocente e cabelos loiros que viraram a grande marca dela nos primeiros sucessos. É tudo visceral, seco e forte, que me deixa ainda mais impactado quando compreendo tudo que veio antes para chegar a construção desse PV.

4º lugar — Orange Caramel – My Copycat

“My Copycat” é fácil o MV mais criativo do K-pop (E provavelmente o mais criativo dessa lista) pois esse é o vídeo onde o Orange Caramel te chama para interagir com o MV. Misturando dois jogos de revistas de puzzles e quebra-cabeças (“Jogo dos erros” e “Onde está o Wally?”), “My Copycat” dá vida a essas revistas e faz diversos enigmas e brincadeiras para quem assiste o MV brincar junto e sair adivinhando e procurando os erros e as meninas no meio da multidão em diferentes níveis de dificuldade. O Orange Caramel deu o entretenimento na minha cara, e lembro que me diverti muito caçando todas as respostas. E até hoje é um vídeo extremamente legal de se assistir e de brincar (Mesmo sabendo das respostas). E tudo vindo de uma empresa com orçamento de 200 reais e dois pacotes de seda na época, o que deixa tudo ainda mais impressionante.

3º lugar — Jolin Tsai – Ugly Beauty

Eu acho o MV de “Ugly Beauty” genial já no início, onde ela materializa o “tribunal da internet” em um tribunal de verdade, com ela mesma se julgando por críticas de terceiros em cima de sua aparência. Mas eu não esperava que ela levasse essa ideia para o vídeo inteiro, onde Jolin se coloca como a vilã e a vítima da indústria pois as críticas (“Você não está bonita o bastante”, “Você não está com o corpo ideal”, “Você está mais cheinha”) são de terceiros, mas quem absorve e cria o dano para ela é ela mesma, se privando de suas vontades e perdendo sua confiança simplesmente porque ela aceitava que o que os internautas falavam de sua aparência como uma verdade.

A partir daí começa a luta da Jolin para se abraçar e retomar sua confiança, se desintoxicando de todas as energias e comentários danosos e se aceitando com todas as “coisas feias” que, na verdade, são essenciais para passar a sua beleza para o público. Em nenhum momento vemos Jolinzão lutando contra figuras que representem outras pessoas ou internautas pois, no fim, não são eles que importam. Todo esse trabalho em conceito, desenvolvimento e estética fazem desse MV hipnotizante do início ao fim, e quando acaba eu quero assistir de novo e de novo.

2º lugar — Perfume – Spending All My Time

Eu lembro de alguém que me explicou por detalhes o significado desse vídeo de “Spending all my time” lá por volta de 2015/2016, mas é claro que anos de drogas lícitas (Calma gente, eu só bebo) acabaram com a minha memória. Então eu assisto hoje em dia esse vídeo e fico tentando compreender o que raios está acontecendo aí… Ou até mesmo SE está acontecendo alguma coisa nele. Afinal, “Spending all my time” é uma música onde elas cantam repetidamente que estão gastando seu tempo amando aquela pessoa, e no vídeo temos 3 gatinhas paranormais (Que não conseguem estourar um cadeado com seus poderes) gastando seu tempo com atividades básicas e que se repetem, vivendo sua rotina enquanto nada fora dessa “prisão” acontece. Mas será que é só isso? Qual a crítica social por trás desse MV? Existe uma mensagem profunda por trás dele? O que um MV com essa execução tenta falar exatamente para mim?

Tudo no vídeo de “Spending all my time” parece simples e extremamente complexo ao mesmo tempo. Até a falta de expressões e sentimentos que as meninas tem no vídeo é algo que parece padrão (Ainda mais se tratando da videografia do Perfume), mas me faz pensar que tem uma razão super elaborada para elas agirem como androides colegiais trancadas em um quarto. E toda essa aura enigmática do PV que pode signifcar tudo (Ou absolutamente nada) é o grande truque que prende a minha atenção nesse vídeo, que se torna hipnótico. Um grande vídeo das Perfumadas.

1º lugar — Gain – Paradise Lost

“Paradise Lost” é o meu MV favorito pelo simples motivo de ser um vídeo que acompanha toda a intensidade da música a todo momento: Todo o clima noturno e energia caótica que a faixa tem é transmitida na estética e cenários do vídeo, e toda a interpretação sensual e desesperada e provocativa da Gain cantando é perfeitamente executada na atuação e performance da cantora no MV. Isso tudo em um maravilhoso contexto bíblico (Longe de seguir o Cristianismo mas as histórias lá rendem ótimas ideias conceituais para trabalhos assim), com o vídeo representando a queda do paraíso e a Gain se reerguendo depois de comer a maçã, mostrando a realidade de Eva após receber sua punição (Se ela estivesse em um MV de K-pop).

Mas o grande trunfo de “Paradise Lost” está em como todos se preocuparam em respeitar todas as nuances da música na hora de construir o MV: Os versos mais contidos e misteriosos são representados por cenas mais conceituais, com Gain quebrando tudo na coreografia com as batidas mais fortes; Quando o refrão surge com mais energia e intensidade, o MV ganha essa vida junto com Gain entregando seus movimentos mais sensuais e provocativos e as cenas mais vivas e impactantes; E o break surge com as cenas em preto e branco, mostrando uma Gain mais caótica e servindo movimentos mais agressivos e chamativos na famosa “dança da cobra” que ela cria no MV. Todo frame desse vídeo é feito para ampliar a experiência e todas as nuances da música E TAMBÉM para criar um universo complexo com várias texturas e camadas, no qual você fica sem fôlego assistindo cada cena, fazendo de “Paradise Lost” o meu MV preferido no Asian Pop.

Ufa, esse post deu trabalho, hein?! Tanto trabalho que eu poderia ser pago com um pix bem gostoso de vocês. Se vocês quiserem dar um valorzinho para esse post, manda lá na chave PIX: dougielogic@gmail.com, ou doe direto no meu Picpay (@dougie.logic). E também eu quero saber quais são os MVs favoritos de vocês, afinal essa é uma das coisas mais subjetivas que eu conheço e aposto que cada leitor e seguidor desse blog tem um MV favorito diferente. Conta aí nos comentários a listinha de vídeos faves de vocês.

9 comentários em “Top Top.jpg: Os meus 10 Mvs favoritos do Asian Pop”

  1. ai que seleção maravilhosa!!! eu tbm não faço mais a menor ideia do que significa o clipe de spending all my time (deve ter algum gringo pra me explicar no reddit). e totalmente inspirada em vc proponho isso aqui virar uma thread da blogosfera fundo de quintal, pq se tem uma coisa que me puxou pro pop asiático foram os clipes.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Ai pensando aqui rapidinho eu só consigo pensar nesses:
    Eclipse – Kim Lip eles tinha 10 conto, uma luz de LED vermelha e uma maquina de fazer fumaça e entregaram tudo! Eu amo como a Kim Lip consegue prender sua atenção o MV inteiro.

    Naughty boy- Pentagon
    Eu acho que essa daqui nem é tanto pela técnica do MV, afinal eles só gravaram em uns cenários aleatórios e tacaram umas criança, mas os meninos conseguem passar uma sensação tão gostosinha e feliz nesse MV e eu vejo ele e me sinto recarregado em 100%

    Taemin- Want
    Nossa esse MV é ridiculo de lindo o Taemin sabe ser “conceitual” quando ele quer né ?kkk sempre quando eu vejo ele eu fico boquiaberto e sem folego em algumas partes, pois o Taemin aqui esta em outro nivel de provocação e sensualidade.

    Hyuna Lip Hip
    Acho incrivel como esse MV conseguiu trazer toda essa essencial mais divertida e debochada da Hyuna a qual eu gosto bem mais do que da imagem Bitch fodona o MV é lotado de duplo sentido e com bastante humor mais safadinho e eu adoro isso na HyunA.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Ótima lista!! não coenhcia grande parte dessas músicas!!
    Um MV que me deixou de boca aberta foi Lady In Red da Jolin. Chega me da arrepios lembrar da cena final.

    Curtir

  4. Eu amo amo amo essas paradas diferentes que o AKB costumava fazer (O último suspiro disso foi Bokutachi wa tatakawanai)
    Infelizmente acho difícil o grupo voltar a fazer algo do tipo, já que até pra lançamento meia boca tá difícil de sair

    Curtir

  5. Impactado com o clipe da Jane Zhang… Ver ele depois de começar a estudar artes é uma experiência muito doida @.@’

    Acho curioso se a tag da blogosfera vingar, que cada um vai mostrando mais um lado da sua personalidade no processo com a seleção, sabe? Tô curioso :3

    Curtir

Os comentários estão desativados.