Review Retrô: Quando a BoA virou a maior japonesa do mundinho otaku com “Every Heart -Minna no Kimochi-” (2002)

2021 é o ano em que BoA comemora 20 anos de carreira no Japão, e a avex está planejando uma comemoração especial com algo chamado “THE PROLOGUE” que será lançado na semana que vem (Não se sabe exatamente o que é, mas eu acredito que seja um documentário especial antes de um futuro álbum que nem ela fez na Coreia). Então nada melhor que comemorar os 20 anos desde a primeira transição de nacionalidade do que fazer um review retrô com um dos grandes clássicos da carreira da cantora no Japão, “Every Heart -Minna no Kimochi-“:

Em 2002 a BoA já estava conhecendo a popularidade no Japão, com o single “Listen To My Heart” vendendo mais de 150 mil cópias e sendo o primeiro Top 5 da cantora na Oricon. Nascia uma estrela japonesa, então a avex já agilizou um tema de anime para a menina. No caso, “Every Heart” foi lançada como o 4º encerramento do anime Inuyasha, que eu lembro pouco de como é (Nunca fui otaku gente, desculpa aí) mas é um clássico da Rumiko Takahashi cultuado por quase todo otaquinho que viveu a febre da cultura pop japonesa nos anos 2000. O single ganhou versões em inglês (Lançada junto com a faixa principal) e em coreano (Lançada dentro do álbum especial “Miracle” e servindo como o segundo encerramento da versão coreana do anime).

“Every Heart” é um desses baladões japoneses emotivos e tocantes com suas referências R&B que estavam em alta no Japão e toda solista japonesa dos 2000 tem. É uma faixa que você ouve com as mãos balançando de um lado pro outro como se estivesse no final de um show ouvindo só as mais na fossa das divas pop, com você terminando em posição fetal e chorando as lágrimas mais pesadas possíveis pois você é uma pessoa triste e sempre teve depressão. O grande diferencial das baladas japonesas para mim é que eles não tem medo de irem longe: Criam o instrumental mais cafona e orquestrado possível, botam alguma gatinha pra tremer em vocais altamente melancólicos e vão com tudo em músicas que podem durar até 2 horas, tudo com a intenção de atingir lá no fundo e você sentir toda a melancolia que uma adolescente pode entregar. “Every Heart” não é exceção, sendo uma ótima música no catálogo ainda curto que de uma jovem que ainda teria uma grande carreira para construir em terras nipônicas.

O PV é muito engraçado de ver hoje em dia porque é onde a gente pode ver a BoA novinha em ação. Assistir os primeiros vídeos da BoA me dá uma sensação muito diferente porque ela era (literalmente) uma adolescente cantando, dançando, rodopiando e dominando a Coreia. O rosto de menininha inocente e suave que ainda não tinha passado por algum procedimento estético, as expressões adoráveis, a impressão que ela ainda tinha algum receio com as câmeras… É muito fofinho de assistir a BoA atuando em MVs dessa época, pois é totalmente diferente da BoA poderosa, madura e magnética dos lançamentos mais recentes. O vídeo de “Every Heart” nem tem nada demais, mas só de ver a BoA de 17 anos agindo aí me dá um arrepio e uma vontade de abraçar e proteger de todo o mal (aka a ideia horrível de debutar nos Estados Unidos).

“Every Heart” não é o grande hit da BoA no Japão: Pegou o 10º lugar na Oricon e vendeu pouco mais de 80 mil singles. Porém, é um dos mais memoráveis da discografia japonesa dela por ser um tema de um anime popular. Muita cacura por aqui conheceu a BoA com “Every Heart” e ajudou a alimentar o mito de que ela era japonesa, pois em 2002 a onda hallyu não era A onda hallyu e ninguém imaginava que uma não japonesa poderia cantar uma música de anime. A BoA virava a maior japonesa da história dos otakus fãs de Inuyasha, e nem precisou ser japonesa para isso.


Amanhã (29/05) o DJ Masa fará uma live especial na Twitch de 20 anos da carreira japonesa da BoA, tocando as mais crocantes que a lenda lançou no Japão em todos esses anos. A live começa 7 da noite, então já se inscreve no canal dele na Twitch e fique ligadinho nessa grande homenagem para essa grande artista.

4 comentários em “Review Retrô: Quando a BoA virou a maior japonesa do mundinho otaku com “Every Heart -Minna no Kimochi-” (2002)”

  1. As músicas japonesas da BoA são tudo de bom

    Eu não sei vocês, mas eu só consigo gostar de música japonesa quando é artista de kpop lançando músicas no idioma
    furei meio mundo atrás de uma música japonesa que preste e se achei 5 é muita
    eu não sei se eu simplesmente não gostei
    se são eles que não sabem equilibrar o volume da voz com o instrumental
    ou se a música que eu escutei é só ruim mesmo

    Curtir

  2. Ai dougy eu já tava desconfiando que vc era da PANDLR, mas agora que eu recebi notificação de vc usando “tópico: fina estampa” eu tenho certeza

    me fala seu user lá vai
    prometo não contar pra ninguém

    Curtir

Os comentários estão desativados.