O que aconteceu em 2021: Brave Girls

Imagina você fracassar por anos na indústria com músicas que ninguém se importou, sua agência desacreditar em você e tudo indicar que você está pisando naquela empresa pela última vez pois você não vai renovar o contrato como idol e vai ter que se virar na vida como atendente ou barista de alguma cafeteria de Seul. Bem, isso acontece com diversos grupos e artistas no K-pop e o Brave Girls estava pronto para seguir esse destino PORÉM, elas chegaram na empresa para assinar a cartinha de rescisão e o estagiário do Brave Brothers avisou: “Bichas, aquela música de vocês ‘Rollin” está hitando muito”.

Originalmente lançada em 2017, “Rollin'” foi um fracasso na época do seu lançamento sendo até censurada dos programas musicais por conta do conteúdo considerado “explícito”. Mas até aí isso era só mais uma terça feira para o Brave Girls, que nunca tinha feito sucesso no K-pop e já estava BEM desacreditado até dentro da própria gravadora, pois o Brave Brothers lucrava mais gravando para outros grupos fundo de quintal do que para o próprio grupo. Mas se o grande público não abraçou “Rollin'”, a música foi um smash no exército coreano, e as performances do grupo se tornaram tão lendárias que a música virou uma espécie de hino que passava de geração em geração, com todo novato no exército aprendendo o “Loli loli lollin!!” com os mais velhos de guerra.

Isso culminou num vídeo de stage mix de performances do Brave Girls no exército com comentários de militares falando como essa música ajudou no seu período militar e como era um fenômeno nas zonas militares da Coreia do Sul…

… E isso viralizou num nível que o público geral começou a abraçar a música e, em questão de dias, se tornou um dos maiores hits de 2021. Em poucos dias o Brave Girls já estava surrando todos os boygroups da 4ª geração entrando no Top 100 do Melon, e não demorou muito até elas surrarem o SNSD e conseguirem o tão almejado Perfect All Kill. “Rollin'” era a mais nova mania da Coreia, Brave Girls assinava contratos a rodo e era um grupo onipresente com tanta propaganda com o rosto das meninas, e “Rollin'” voltava a ser promovida nos Music Shows de uma forma totalmente repaginada, afinal o K-pop não aclamava mais o sexy rampeiro como antes e o Brave Girls teve que se adaptar a isso.

Naquele momento “Rollin'” era gigante, barrando o debut solo da Rosé nos charts, ganhando wins nos programas como se a música tivesse sido lançada em 2021 e até tombando o comeback da IU, mostrando que a IU poderia ser a fodona que fosse na Coreia, mas nada impediria a febre que era “Rollin'” naquele momento. E até “We Ride”, que não tinha nada a ver com o rolê todo, foi ressuscitada nos charts pois os coreanos passaram a divulgar livremente a música como uma masterpiece do grupo. Ou seja, elas estavam gigantes.

Com tudo isso acontecendo, o Brave Girls teve a sábia decisão de agilizar um comeback para o grupo com grandes pretensões: Ele queria transformar o Brave Girls nas rainhas do verão, com o apropriadamente intitulado “Summer Queen”. E em junho de 2021 veio “Chi Mat Ba Ram”:

A música foi um grande sucesso e, mesmo não sendo um fenômeno como “Rollin”, garantiu um Top 3 na Gaon e o TERCEIRO hit do grupo em 2021, além do EP “Summer Queen” também ir muito bem e vender 75 mil cópias. Aí talvez você, gatinha kpopper que está acostumada a ver seu grupo flopado vender mais de 100 mil cópias por álbum, ache que esse número é pequeno, mas isso é quase 4 vezes mais álbuns do que o Brave Girls tinha venddo em 10 ANOS DE CARREIRA. Sem dúvidas esse foi um comeback muito bem sucedido para o grupo, que ainda teve um segundo MV para a album track “Pool Party” e um relançamento do EP com “After We Ride”, que já é uma das minhas faixas favoritas de 2021 da minha playlist.

Muito provavelmente esse fenômeno de 2021 que rolou com o Brave Girls não deve se repetir em 2022, sendo mais um momento de estabilizar o grupo como um nome rentável e popular na playlist do coreano médio que parece estar, aos poucos, voltando a consumir música idol. A ideia do Brave Brothers em transformar as gatas em rainhas do verão é um bom primeiro passo, pois associar as meninas a essa estação pode tornar o grupo extremamente memorável a longo prazo. Deu certo para o SISTAR, por que não daria para o Brave Girls né?!

Mas mesmo que o grupo não consiga igualar o sucesso que teve em 2021, o Brave Girls já é um grupo vitorioso na indústria. Foi muito legal ver esse fenômeno de Rollin durante todo o primeiro semestre desse ano e como elas foram onipresentes batendo de frente com grandes nomes do K-pop. Para um grupo que estava falido e a beira do disband, o 2021 do Brave Girls foi o melhor que o K-pop proporcionou esse ano.


Para mais posts especiais dessa retrospectiva relembrando os acontecimentos mais legais de 2021, siga o Pop Asiático.jpg no twitter: @popasiaticojpg

3 comentários em “O que aconteceu em 2021: Brave Girls”

  1. Esses dias estava indo para meu plantão quando tocou Rollin como uma recomendação e pqp que música boa. Eu as 6:00 da manhã no frio de Curitiba me sentindo uma grande gostosa no verão, super feliz e confiante. Não sei que pacto o Brave Brothers fez, mas essa música mereceu ser abraçada pela Coreia como um todo. Que delicinha de música viu?

    Curtido por 1 pessoa

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: