Review retrô: Quando Namie Amuro convocou o After School como suas dançarinas de luxo em “Make It Happen” (2011)

Me sugeriram aqui no blog para comentar lançamentos icônicos que completam 10 anos em 2011, e eu achei uma boa ideia pois a) Tenho que alimentar os velhos de guerra que frequentam esse blog com nostalgia inútil e b) 2011 foi um ano muito legal para ser um adolescente acompanhando coisinhas do pop asiático, não só no K-pop como também no J-pop. E prova disso foi quando os dois mundinhos se uniram para criar “Make It Happen”, uma das colaborações mais memoráveis da Ásia (Ou no meu mundinho, tanto faz):

Namie é uma aposentada mercenária que não botou mais do que 1 minuto dos seus vídeos no Youtube, mas você pode assistir o vídeo de Make It Happen completo aqui (Além de ouvir no Spotify)

2011 foi um ano que a Namie trabalhou muito lançando 2 clipes, 9 PVs, passou o ano em turnê (Que teve DVD no fim do ano) e lançou o “Checkmate!”. O “Checkmate!” é uma coletânea de colaborações que Namie Amuro fez entre 2003 e 2011, e conta com 4 colaborações inéditas (Sendo uma delas “Make It Happen”), com todas as 4 músicas ganhando PV. Até aqui você pode pensar “Ei! Eu acho que já ouvi falar disso antes”… E você já ouviu mesmo, pois a ideia do “Checkmate!” da Namie foi praticamente refeita no “Checkmate” da Anitta em 2017 com o mesmo esquema: 4 singles, colaborações em todas as faixas e videoclipes. O desenvolvimento dos dois projetos foi bem diferente (Namie fez isso para promover um Best Album com esse conceito, enquanto a Anitta fez para dar uma fortalecida no seu passe como cantora internacional), mas a essência está ali.

“Make It Happen” nasceu a partir do desejo de Namie Amuro colaborar com um grupo de K-pop e aproveitar um pouco a ascensão dos grupos coreanos (Especialmente SNSD e KARA) naquela época. A avex trax mostrou alguns grupos que estavam na ativa, e Namiezão acabou escolhendo o After School por reconhecer UEE do drama “You Are Beautiful”. A avex, então, assinou um contrato exclusivo para promover o After School no Japão, e Namie virou uma espécie de madrinha da carreira japonesa das meninas.

“Make It Happen” foi lançada como o segundo single digital do “Checkmate! no dia 20 de abril de 2011 (O primeiro foi “Wonder Woman (feat. AI & Anna Tsuchiya)”), uma semana antes do lançamento do álbum. E que faixa meus amigos: Um pop/dance safadíssimo que bebeu muito do que o K-pop lançava de mais “fierce” naquele tempo (Ou seja, uma demo eurodance esperta de qualquer buraco da Europa gravado em 2007… E isso não é uma reclamação), com Namie e o After School cantando “Você quer me comer e eu quero dar pra você, então vamos fazer acontecer” por mais de 3 minutos.

O After School basicamente canta a intro e faz coro no refrão, mas vale lembrar que elas só estavam fazendo participação especial na música (E Namie não deixaria 7 novinhas e a Kahi engolirem uma música dela nem se a vida dela dependesse disso). Apesar disso, a intro é ótima e dá todo o clima mais intenso e excitante para Namie seguir sozinha, e o refrão explodindo me dá vida de tão bom, assim como a bridge onde Namie Amuro mostra que é a maior vocalista de sua geração (-n). Tudo nessa música serve um farofão delicioso, e os gays coreanos e japoneses foram muito felizes com isso aqui.

Já o PV… Bem, Namiezão já sofria de dor nas costas e problemas com os ossos em 2011, então a lenda não podia se esforçar muito. Por isso ela passa o vídeo inteiro SENTADA enquanto o After School fazia o que dava para servir coreografia e sensualidade. Mas Namie é uma preguiçosa de bom gosto, e os dois cenários do PV são muito bonitos servindo bordel japonês. Os figurinos do After School são altamente questionáveis, mas Namie está belíssima dando vida ao figurino do “Checkmate!”. Não é o vídeo mais trabalhado da vida da Namie mas mostrou muito luxo e beleza, então tá valendo.

“Make It Happen” é uma faixa que mostrava que Namie estava antenada nas tendências e entregou um K-pop melhor do que muito K-pop da época (E de hoje em dia). Não sei se é a minha favorita das inéditas do “Checkmate!” (“Wonder Woman” é tão maravilhosa quanto), mas é uma música que envelheceu muito bem na minha playlist e é o tipo de música que qualquer criança viada que cresceu com Lady Gaga e Britney Spears na playlist pode gritar “Yassss kweeen werrrk” para isso aqui, e de quebra deu o pontapé inicial para a carreira de 2 álbuns (Mas vários bops) que o After School teve no Japão. Namie Amuro já era uma véia sem muita disposição para performance em videoclipes em 2011, mas não era uma véia antenada.

2 comentários em “Review retrô: Quando Namie Amuro convocou o After School como suas dançarinas de luxo em “Make It Happen” (2011)”

  1. Essa é uma das colaborações mais icônicas da história do pop asiático, deram nome aí. Inclusive, obrigado Namie por impulsionar a carreira japonesa do After School porque elas serviam hinos também (Dress to Kill segue como o melhor álbum japonês por um ato coreano). Essa e I’m Not Yours seguem imbatíveis e, como podemos ver, Namie sempre foi empenhada em unir toda a Ásia.

    Chocado em saber que Anitta é uma fã avidíssima de Namie Amuro a ponto de se inspirar (i.e plagiar) nela para seu álbum Checkmate.

    Curtir

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: