Top Top.jpg: 10 músicas safadíssimas que a Joy poderia fazer cover (Mas não vai)

Na última semana tivemos a SM anunciando o debut solo da Joy, do Red Velvet. A notícia seria mais empolgante se esse debut não fosse com um álbum de remakes…

… E das duas uma: Ou ela vai fazer cover de alguma balada clássica para a dona de casa coreana (Meh) ou de alguma música escolhida no algoritmo da própria SM (Outro meh, mas que talvez vingue algo). Mas se a Joy na verdade for um gay de fórum que adora performar divas pop no quarto e vai debutar com um cover de alguma música velha para os gays, esse post vai deixar algumas sugestões de músicas que ela poderia estar regravando para sua estreia solo, pois esse blog é comandado por um gay que gosta de ser alimentado por divas pop fazendo músicas para os gays. Toma aí umas sugestões para investir nesse lado, Joy:

10º lugar — Baby V.O.X – Betrayal

Baby V.O.X foi um dos girlgorups que dominou a 1ª geração do K-pop com S.E.S e Fin K.L, e o seu conceito mais forte e expressivo é muito característico e fazia desse grupo um nome a ser notado. Podemos ver isso em “Betrayal”, com figuritos prateados, penteados exóticos, iluminação estourada e um pop anos 2000 que grupos como N’Sync serviria e seria um grande sucesso amado por adolescentes daqui. Se a Joy quer fazer um revival dos anos 90/2000, ela poderia ir fundo nesse conceito e servir toda a extravagância que o Baby V.O.X serviu com “Betrayal” (Além de uma música extremamente poderosa e marcante como essa).

9º lugar — Son Dambi – Queen

Son Dambi é uma dessas solistas que merecia mais reconhecimento da fanbase pois, apesar de curta, tem uma discografia deliciosa e repleta de synthpops como “Queen”, que traz uma melodia tão boa e um piano marcante e dançante para mostrar toda a classe e poder que uma rainha tem. “Queen” é uma faixa leve, tem um refrão gostosíssimo, o autotune funciona muito bem aqui, além de visuais muito legais que combinam muito bem com a atmosfera mais brilhante e colorida que a música tem. Se a Pledis com 50 reais e 2 estagiários conseguiu entregar visuais marcantes para a Dambi, a SM poderia muito bem botar todo seu luxo e opulência para elevar esse pacote com a Joy.

8º lugar — Seo In Young – Cinderella

Se a Joy seguir a linha mais patricinha, ela pode muito bem regravar “Cinderella”, hit da Seo In Young onde ela está bem bonequinha cantando sobre como é bobinha e inocente até meia noite, onde ela se transforma em uma pessoa feroz e misteriosa, tudo embalado em um vídeo extremamente vadia rica rodeada por jóias, sapatos e bolsas que refrorçavam a fama de fashion icon que a In Young tinha no seu auge. Acho esse instrumental com os sintetizadores distorcidos uma delícia e combinam muito bem com o autotune da faixa, e apesar de tudo parecer meio acidental (Duvido muito que quem produziu isso sabia o que estava fazendo), deu muito certo e “Cinderella” é simplesmente icônica na minha playlist. Joy poderia vingar muito bem uma faixa do tipo.

7º lugar — Fin K.L – Now

O Fin K.L é um grupo que dispensa apresentações, sendo um dos maiores nomes da 1ª geração do K-pop e o grupo que trouxe Lee Hyori para a fama. O início do grupo é bem fofinho, mas o negócio fica quando elas resolvem despirocar em “Now”, esse popzão bem anos 2000 que Britney Spears lançaria na época de “Oops” / “Stronger” e que faz qualquer cacurinha ter arrepios só de sentir os anos 2000 de volta na playlist. O tipo de hino nostálgico que a Coreia ama reviver, e que a Joy poderia muito bem aproveitar.

6º lugar — Ivy – Touch Me

A Ivy é conhecida por 3 coisas no K-pop: Ter dado uns pegas no gostoso do Wheesung, roubar na caruda um trecho da história de Final Fantasy e ser uma gostosona que fazia muitas saliências com EDMs ainda mais safados como “Touch Me”, vinda diretamente da discografia de Lorena Simpson antes mesmo da própria Lorena Simpson existir na The Week. “Touch Me” é uma música pros gays que fez muito sucesso nas baladas LGBT coreanas (Acredito eu), e tem tudo para transformar uma jovem como a Joy na nova dinda dos gays. Se a integrante do Red Velvet quiser regravar

5º lugar — Baek Ji Young – EZ Do Dance

Antes da Baek Ji Young se tornar essa senhora da direita coreana que só lança baladão emotivo, ela era uma gata que servia ousadia e malemolência em cima de latinidades como “EZ Do Dance”, onde ela rebolava, dramatizava, servia vocais e safadeza em uma faixa extremamente provocativa, aliado a um MV onde ela é filmada por todos os ângulos e quase que debochando da sextape que vazou da cantora no início dos anos 2000. Será que Joy teria o sangue latino necessário para segurar uma música dessas? Eu acredito que sim!

4º lugar – Jewelry – One More Time

Qualquer kpopper que viveu K-pop lá pelo final dos anos 2000 deve conhecer “One More Time”. O single é o mais popular da formação mais popular do Jewelry, um dos girlgroups mais populares da 1ª geração, e é muito conhecida pela produção do Shinsadong Tiger misturando eletropop com trot music com tamanho êxito que é impossível não se viciar por essa música. Uma mistura do moderno com o tradicional, do brega e do chique, uma música perfeita para uma gatinha do pop regravar para conquistar os coreanos.

3º lugar — Uhm Jung Hwa – Invitation

Essa daqui é um clássico e amada por qualquer um que tenha algum interesse em K-pop dos anos 90, e vez ou outra é lembrada como uma das maiores músicas femininas do K-pop, cantada por uma das maiores solistas do K-pop. E já no primeiro segundo de música você percebe que “Invitation” nasceu para se tornar atemporal: O instrumental único misturando a sutileza com um pouquinho de estranheza aliado os vocais sutis e provocantes da Uhm Jung Hwa fazem essa música ser excitante a todo momento, e é impossível não se hipnotizar pela Uhm Jung Hwa assistindo esse vídeo. Toda a classe e sofisticação de “Invitation” poderia ser muito bem emulada nesse debut da Joy.

2º lugar — Chae Yeon – Two Of Us

Nos anos 2000 a Coreia tentou emplacar um monte de solistas com sexy concepts safadíssimos, e algumas deram bem certo. Uma dessas é a Chae Yeon, que tem como seu maior (E mais controverso) sucesso com “Two Of Us”, e assistindo o vídeo podemos ver que a cantora foi no limite da sensualidade e provocação, com mais uma música que estaria em casa numa discografia da Jennifer Lopez na época (Ou de qualquer americana que tentasse lançar uma piranhagem para alcançar o Top 40 da Hot 100). Joy não precisa ficar se esfregando em um homem, fazer topless ou rebolar em closes ginecológicos para o seu debut, mas dava conta de servir um negócio poderoso regravando esse grande hit dos anos 2000 na Coreia.

1º lugar — Lee Hyori – 10 Minutes

Vocês acharam MESMO que eu perderia a oportunidade de divulgar a fodona do K-pop num post revivendo músicas velhas no K-pop? É CLARO QUE NÃO! Lee Hyori merece todas as homenagens do mundo para mim, e é claro que esse Hip Hop de cachorrona que vai roubar o SEU marido em 10 minutos merece ser lembrada. Um cover dessa música em pleno 2021 renderia muito babado e confusão para a pequena Joy, e é tudo que um debut solo precisa ser: Memorável. Se a Joy quiser seguir os passos de Hyorisus e se tornar a maior solista da Coreia, regrave “10 Minutes” para começar com o pé direito.

Sim, esse post foi mais uma desculpa para divulgar um monte de artistas e grupos velhos que fizeram a cabeça dos coreanos nos anos 90/2000, mas falando sério: Eu acho que a Joy renderia muito bem uma diva pop com um conceito forte, uma faixa marcante e uma coreografia memorável. Só acho que a SM não está afim de investir esse lado nela (Se for para sair uma solista pop no Red Velvet, deve ser Irene ou Seulgi mesmo), mas acredito que a gata tem potencial para isso. Para quem tiver curiosidade, o álbum de remakes da Joy “Hello” acabou de ser anunciado para o dia 31 de maio.

6 comentários em “Top Top.jpg: 10 músicas safadíssimas que a Joy poderia fazer cover (Mas não vai)”

  1. Eu acho que Invitation seria perfeito para Joy, ela consegue entregar essa elegância e sensualidade como ninguém e a propria joy tem uma personalidade que consegue muito bem carregar esse conceito, seria um sonho um remake desses

    Curtir

    1. Sim Invitation foi a primeira música que pensei quando anunciaram que seria um álbum de remakes, mas o que esperar da SM né, tomara que alguém mande aqueles caminhões que pediam comeback do Blackpink agora na porta da SM pedindo para deixarem a Joy ser gostosa em paz 😭.

      Curtido por 1 pessoa

  2. Quem dera nos tivéssemos o controle da sm. Falando sério, a Joy combinaria demais com esse conceito diva pop. Ela tem carisma e presença de sobra_ mais do que a Seulgi, que na minha opinião combina com algo conceitual e artística_
    Por mim pegaria todas essas músicas e transformaria no álbum, de boas. Pelo ao menos se distanciaria e chamaria a atenção se distanciando das baladas de cafeteira coreana de pé de descalço e tranças fazendo cara de bobinha. Ou das invenções da própria sm com várias roupas de marca parecendo um panfleto dançando em coreografias preguiçosas pra conseguir chamar a atenção dos americanos.
    Infelizmente nossos desejos não se realizam e ela seguira a primeira alternativa de balada insossa e sem graça. Não sei porque são assim, o debut da Wendy já foi na mesma vibe e vão entregar algo supostamente parecido pra outra integrante? Cadê aquela época do kpop que criavam conceitos diferentes pra units e integrantes que rolava lá no passado?

    Curtir

Os comentários estão desativados.