AKB48 decidiu que é o maior grupo para os gays que o J-pop já viu em “Motokare Desu”

Lá pelos meios de 2012, quando o AKB48 estava lá vendendo 1 milhão de singles com qualquer porcaria que lançasse unindo Jpoppers e Kpoppers achando que era o grupo mais insuportável da história do pop, o desejo de muitos ali era ver o AKB48 lançando algum popzão de boate mais safado com muita coreografia, lacração e carão como se elas fossem um girlgroup de K-pop. Passaram os anos, hoje em dia aqueles gays já estão com o pé na cova e ninguém mais se importa tanto assim com o que o grupo anda fazendo… Mas não é que elas viraram um grupo de divas pop que os gays idolatram? Olha aí “Motokare Desu”:

Eu não sei o que pode ter acontecido para essa espécie de revamp do grupo, mas tanto esse como o single delas ano passado estão bem mais… globais? Quer dizer, na época que Tomomi Itano e Mayu Watanabe eram as maiores idols de todos os tempos do AKB48 e o grupo vendia 1kk com qualquer troço que elas desovassem, os singles do grupo eram bem mais, huh, “japoneses”, mais focados em carisma inofensivo e músicas mais animadas com corais de igreja, instrumental alegre e essas coisas que fizeram o AKB48 definir o que era pop idol japonês durante um BOM tempo. Era irritante e a gente tinha que peneirar para achar 1 single bom no meio de tanta música feita nas coxas para aproveitar o hype que elas tinham.

Porém, “Motokare Desu” aposta muito em performance. Um farofão pop com o violão conduzindo um pouco de latinidade by Rosalia que não chega a ser novidade no J-pop mas é delicioso, muito forte e valoriza muito bem a intensidade que as meninas quiseram passar aqui. E vamos lá, essas gurias aí estão muito mais empenhadas com coreografia e movimentos né. A golden era do AKB morria para mexer os braços e dar dois passos pro lado, mas dá pra ver que essa formação atual está lutando pela sua vida, se jogando no chão, fazendo passos mais desafiadores e preocupadas em fazer tudo em sincronia. “Motokare Desu” não é um single confortável para a marca do AKB48 e elas estão empenhadas em te impressionar com um som mais desafiador e uma performance mais impressionante.

Isso pode ser um movimento para o AKB48 ver se consegue colher fanbase internacional agora que o buzz delas estão lá no chão com elas apanhando de tudo quanto é boygroup e girlgroup46 na Oricon? Pode ser, mas eu não me importo. Na verdade, eu amei “Motokare Desu” e já considero essa uma das grandes músicas do Asian Pop (Os grandes bops de 2022 estão vindo do Japão hein… Acorda K-pop), e o AKB48 resolveu virar um girlgroup para os gays afinal de contas. “Motokare Desu” serve cor, luzes, coreografia divônica e uma música super divertida para animar esse povo animado, e veio do grupo que menos esperava servir um bop assim.

10 comentários sobre “AKB48 decidiu que é o maior grupo para os gays que o J-pop já viu em “Motokare Desu”

  1. Finalmente um comeback das gatas de Akihabara! (Aquela rumor mto ruim kkkk bjss)
    Obs: sinto saudade da era jpopzão kawaii delas… hoje em dia não tem mais isso.

  2. Os dois últimos singles do AKB, Nemohamo Rumor e Motokare Desu, estão tentando fazer o grupo ter realmente uma imagem mais forte e ‘cool’, diferente da imagem de ‘girl next door’ que elas mantiveram por muito tempo. O AKB sempre teve algumas músicas fora da curva, como RIVER, Beginner, Flying Get e UZA, mas nunca foi de fato a imagem que o grupo tentava transparecer.

    Gostei dessa música, embora eu, como fã, goste também das músicas mais fofas e alegres (mesmo no K-pop, o Apink era meu grupo favorito desde sempre, então esse estilo sempre me agradou), não tenho nada contra essa mudança. É uma música excelente e é incrível ver o grupo se aprimorando na dança e performance depois de tanto tempo.

  3. vc poderia fazer uma lista das mejores musicas desse grupo, é tanto single que nao consigo ouvir todos pra dizer qual poderia gostar rs

  4. Como a center de cabelo rosa não vingou. Ficaram muito tempo focados nas meninas mais antigas s realmente lançar um nome forte novo a cada geração para carregar o grupo. Acho que agora vão tentar surfar na onda da Hitome, e dar um super destaque para ela, evitando que ela fuja para a coreia, mas com o treinamento coreano dela fica muito ruim se colocarem elas desincronizadas, e a hitome já não tem mais uma áurea tão fofa.
    É impressão minha ou também diminuirão a participar das outras meninas 48????? Acho que não vi ninguém que também participe dos grupos irmãos.
    O que é uma pena já que a nako e a Miru teriam combinado muito nessa musica

  5. Caramba, que música ÓTIMA!!! Não esperava isso vindo justo do AKB48; elas estão de parabéns!

    Só achei uma pena que não tem mais pessoas aí. Sei que é impossível juntar todas as integrantes do grupo sem um galpão do tamanho de um bairro inteiro, mas sei lá, como o grupo chama AKB48, podia ter pelo menos 48 gurias dançando aí… não contei quantas aparecem no vídeo, mas parece ser no máximo uns dois LOONAs em tamanho.

    Mas isso é só um detalhe pequeno; o importante é que a música ficou ótima! Tem a atitude dos girlgroups de k-pop, mas ainda assim consegue se manter dentro da sonoridade mais empolgante (e bem menos caótica) do j-pop.

    • Na verdade, o AKB48 nunca teve exatamente 48 membros e nunca foi o objetivo também. A origem do nome é disputada: há quem diga que o plano original era que cada um dos times originais do grupo (Team A, Team K e Team B) tivessem 16 membros, o que formaria ao todo 48 membros, e na prática isso aconteceu entre 2009 e 2011, mas o grupo também tem as kenkyuusei, que são basicamente trainees mas são consideradas integralmente membros do grupo também, e elas são promovidas a um dos times depois de um tempo. Mas a origem mais provável do nome é que venha de office48, o nome do escritório de um dos fundadores do grupo: Shiba Kotaro. Os números 4 e 8 podem ser pronunciados como “shi” e “ba” em respectivamente japonês, por isso era o nome do escritório dele, além de AKB vir de Akihabara, bairro otaku de Tóquio. O carátere 秋 (aki) é presente tanto em Akihabara, quanto em Akimoto Yasushi, o produtor do grupo. Então o nome do grupo é mais ligado a ser um jogo de palavras com os nomes dos fundadores do que com o número de membros, até mesmo porque as membros originais da 1ª geração eram só 20.

      Atualmente o grupo tem ao todo 73 membros, mas claro que não são todas que participam das músicas. Cada single tem uma lineup diferente, embora as mais populares sempre estão presentes, e o número pode variar também. O single passado teve 18 membros, esse tem 20. Por isso você vê menos de 48 pessoas.

      • Muito obrigado pelas explicações!

        Eu já sabia que o AKB48 não tinha exatamente 48 integrantes (meu comentário era só que eu acho que teria sido legal se nesse videoclipe houvesse umas 48 pessoas), mas tem muita coisa que você explicou que eu não sabia, como esse jogo de palavras com os sons de “4” e “8”. Gostei também das informações sobre a estrutura organizacional desse grupo, achei bem interessante.

        • É um pouco complicado, mas eu gosto muito da estrutura e acho legal explicar também, uma das poucas coisas que posso passar horas falando sem me cansar. No caso dos grupos 46 é mais simples, tem menos membros (46 significa isso, inclusive, já que é menor que 48) e não tem sistema de times, acaba sendo só um grupo grande sem toda a burocracia do AKB (e grupos irmãos). A fins de comparação, o AKB tem 73 membros ao todo enquanto o Sakurazaka46 tem 23 ao todo.

  6. Aki-P provando mais uma vez que originalidade não é o forte copiando o galpão-preto-com-luzinha do Hello!Project (vide TIKI BUN pra holofotes, Suki tte Itte yo para LEDs, Ai Mashou pra todos). Mas uma câmera 4K e colorimetria fazem milagres, né

    Sabe quando falam que a Disney tem que quebrar pra ficar interessante de seguir? Mesma coisa aqui. Agradeço muito por minhas preces terem sido atendidas e o AKB não estar com o ganso dos ovos de ouro garantido, tava um porre aquele bando de troço genérico. Infelizmente a letra ainda parece algo que um homem de meia-idade estaria cantando, mas isso é dele e não vai mudar.

Os comentários estão desativados.