Year End 100: As melhores músicas do Asian Pop em 2021 (Parte 4)

E aqui estamos com a 4ª parte do Top 100 de melhores músicas de 2021, com a metade de baixo sendo encerrada e entrando na metade principal, onde muitas fan favorites costumam aparecer para apanhar de músicas que provavelmente eu e mais quatro pessoas ouviram mas estão entre as minhas músicas favoritas de 2021. Mais 15 músicas rodam agora, será que a sua favorita entre elas?

55. Rocket Punch – Ring Ring

No meio de uma discografia caótica, “Ring Ring” poderia ser a música que una todas as tribos a favor do Rocket Punch… Mas não foi, já que a recepção foi bem mista com alguns amando e outros odiando os vocais altíssimos dessa música. Para mim, o Rocket Punch conseguiu dosar bem os gritos com o instrumental enérgico, criando um single pop extremamente contagiante e provando que o synthpop oitentista foi mesmo a melhor trend que o K-pop chupou até o talo em anos, pois sempre rende um resultado satisfatório na minha playlist.

54. Genie High, Chanmina – Kyasha no Lip

Uma das melhores coisas de acompanhar a Chanmina é que ela é versátil sem se esforçar. Ela foi lá, anunciou uma parceria com essa Genie High (Que parece ser bem legal, qualquer dia desses ouço o álbum da banda no Spotify), gravou esse jazz rock espertíssimo e serve versos deliciosos que combinam muito com a energia sofisticada e caótica que “Kyasha no Lip” consegue transmitir. O timbre mais suave da vocalista com a agressividade da Chanmina foram a mistura perfeita e a cereja do bolo para um single extremamente prazeroso de ouvir.

53. Seori – Lovers In The Night

Talvez você conheça a Seori apenas pelas 3 linhas que ela canta em “I Know I Love You” do TXT e esteja perdendo essa delícia synth R&B que é “Lovers In The Night”, então você aproveite que estou divulgando essa música AGORA nesse post e dê aquele play esperto para ver o quão bom e aliado GLS é esse single (Rola até uns casais lgbtqia+ se pegando ali, representatividade sabe), e eu amo vocais mais suaves sendo usados de forma inteligente para criar uma atmosfera intensa em músicas com uma intensidade diferente e fora da casinha. “Lovers In The Night” é, sem dúvidas, um grande momento para o K-pop, e espero que um dia a gata engate uma carreira de gatinha hipster na 88rising como aconteceu com a BIBI em 2021.

52. Jessi – What Type Of X

A Jessi pode não ter engatado aquele viral espertíssimo em 2021 que nem fez em 2020 com “Nunu Nana”, mas lançou algo ainda melhor com “What Type Of X”. A guitarrinha entregando que ela salvaria o ROCK já tinha me desarmado, e quando ela a mandar os versos daquele jeito desbocado e debochado que só ela tem na K-music eu já tinha me rendido a ela. O refrão para bater cabelo e balançar os peitões é uma delícia também, e “What Type Of X” acabou sendo uma das grandes representações de músicas para grandes gostosas em 2021.

51. Jeon Somi – Dumb Dumb

E não é que a Somi finalmente arranjou um hit para chamar de seu em 2021? E com um popzão bem legal ainda por cima? No início eu não estava muito dentro de “Dumb Dumb”, mas esse drop de refrão é icônico demais e um dos melhores drops que a YG produziu em ANOS, não só elevando a experiência desse teen pop a algo bem chiclete como dando aquela tensão gostosa e hipnotizante, que sem dúvidas ajudou essa música a ser o viral que foi em 2021. Ainda não acho esse o melhor single da Somi, mas é uma das músicas que mais cresceu comigo em 2021 e ela merece muitos créditos por isso.

50. TWICE – Alcohol-Free

Muitos artistas e grupos no K-pop serviram latinidade em 2021, mas só o TWICE foi além e serviu brasilidade para a nação kpopper com “Alocohol-Free”. Agora eu posso ser uma Helena do Manoel Carlos descendo o Leblon como qualquer Helena classe média com uma bossa nova cafona e saborosa tocando no fundo pois o TWICE fez “Alcohol-Free” pensando exclusivamente nas garotas do Rio e na aclamação que que qualquer ato que use Garota de Ipanema como sample consegue ter, além de render um ótimo pop que aumenta ainda mais a lista de ritmos que o TWICE explorou muito bem na carreira e faz delas o girlgroup mainstream mais interessante do K-pop atual.

49. Perfume – Polygon Wave

Acho super legal como o time por trás do Perfume consegue vender tão bem a fantasia futurista de um girlgroup em cima do trio, a ponto de um EDM padrão dentro do que o Nakata produz conseguir ter todos os elementos necessários para eu comprar “Polygon Wave” como o futuro do pop. Junto a isso, temos as senhoras que, mesmo com 35 processadores vocais diferentes e feições de andróides prontas para acabar com a raça humana, transmitem energia e carisma de forma tão não convencional que fazem de “Polygon Wave” uma música sensacional que só o Perfume teria culhões de transformar em algo memorável.

48. N.O.M – Mega Punch

Mais um exemplo de synthpop retrô que deu muito certo na sua execução e fica mais legal ainda com a estética seguindo a linha retrô e viajando direto para o ano de 1998, o N.O.M finalmente conseguiu a atenção dos gays da blogosfera de fundo de quintal com 3 gayzões descamisados se esfregando nas câmeras para esse MV e uma farofa incrível e com um conceito on point. “Mega Punch” serve humor, entretenimento e um som extremamente satisfatório para lavar uma louça e divertir toda a família tradicional coreana. O grupo vai continuar no ostracismo, mas pelo menos serviu um bop para os gays.

47. Brave Girls – Chi Mat Ba Ram

A revolução nugu que o Brave Girls encaminhou em 2021 trouxe o fogo no olhar para o grupo se intitular como as novas rainhas do verão, e elas começaram bem com a refrescante “Chi Mat Ba Ram” trazendo o sol para a Coreia e a felicidade de um grupo nugu que venceu na vida para toda a fanbase. Quer dizer, “Chi Mat Ba Ram” não é lá muita novidade para quem acompanhava os summer concepts da 2ª geração como eu acompanhei, mas é exatamente por isso que essa música é incrível. “Chi Mat Ba Ram” tem energia, é colorida, tem vida e é extremamente divertida, sendo tudo que eu espero de uma produção do Brave Brothers e de um single de verão do Brave Girls.

46. BLACKSWAN – Close To Me

Outro grupo que é bem fiel ao popzão bagaceiro da 2ª geração porque a DR Music ainda tem 300 demos do Rania para queimar, BLACKSWAN tinha 50 reais e uma garagem para gravar e fazer “Close To Me” acontecer. Tecnicamente a música tem muitas falhas, mas quem se importa? “Close To Me” é charmosa, dançante, bem popzão anos 2000 que toda senhora da fanbase adora aclamar, e é claro que vivo por essa música até hoje. Se metade do formação não se estourar na porrada culminando no disband do BLACKSWAN, espero que a DR Music queime mais demos safadas de 10 anos atrás em cima dessas meninas.

45. Chanmina – Harenchi

Chanmina decidiu ser a mais sem vergonha das rappers em seu 3º álbum “Harenchi”, e a sua faixa-título mostra muito bem isso. “Harenchi” segue a linha de pop jazz que ela tinha feito em “Kyasha no Lip” (Que fez um barulhinho nos charts do Japão) mas, sendo uma faixa solo, podemos sentir toda a gravidade e personalidade da Chanmina, mais bêbada e ousada do que nunca cantando isso aqui. É hipnótico assistir a Chanmina pois ela é algo que parece totalmente novo para o J-pop, e “Harenchi” mostra essa versatilidade e originalidade que faz dela uma artista única entre milhões.

44. Juice=Juice – DOWN TOWN

As melhores coisas do Hello Project esse ano foram os covers que o Juice=Juice lançou em seus singles. O primeiro a aparecer nessa lista é “DOWN TOWN”, que eu não conhecia antes mas essa versão delas já foi o suficiente para amar esse pop funk modernizado e pronto para entrar na trilha sonora do novo Sakura Card Captors ou qualquer anime da CLAMP. Ficou fofo, charmoso e muito adorável, pois a Hello Project acerta nesses tipos de revival e não seria diferente aqui. Nunca liguei muito para o Juice=Juice, mas aqui nesse cover elas foram incríveis e merecem os aplausos.

43. Kato Miliyah – OMG

A Miliyah já teve álbuns em que serviu farofas mais crocantes de pop bitch, mas “OMG” representa muito bem esse estilo da Miliyah com uma farofa muito bem produzida e pensada para alimentar os gays (Ela solta até um YASSS!). Entre momentos mais “rap” e momentos mais vocalista passeando por um instrumental com um batidão gostoso e transições que funcionam entre si (Até o drop do refrão eu curti muito, aprende Teddy), a lenda dos 3k na Oricon que compraram o WHO LOVES ME mostra que ainda pode ser a diva que o mundinho gls japonês precisa (Mesmo que o álbum não tenha exatamente esse direcionamento).

42. Chanmina – A Girl Of Tokyo

Sim, MAIS UMA música com a Chanmina nessa parte do Top 100 e a QUARTA aparição dela aqui (E vem mais por aí). Agora vale a pena destacar “A Girl Of Tokyo”, onde a Chanmina meio que recria e faz uma versão própria do City Pop, deixando ele ainda mais urbano e menos poético para combinar com a persona desbocada da rapper e a energia mais desiludida da faixa. “A Girl Of Tokyo” é uma música para você andar pela noite e beber que nem uma condenada na Avenida Paulista usando a desculpa de que isso é conceitual e rende ótimas fotos no Instagram, e a Chanmina serve tudo isso muito bem nesse modo gostosa bêbada que ela tem.

41. AKMU, IU – Nakka

“Nakka” é a parceria mais pretensiosa do K-pop em anos, uma vez que o AKMU quis mostrar para o público uma versão mais adulta e tensa de si mesma (Especialmente por ser o 1º retorno da dupla depois que o Chanhyuk saiu do exército) e outra ótima forma de mostrar que a IU não é só a artista de músicas fofas e baladinhas soft de irmã mais nova da nação, mostrando que sabe ser alternativa e uma jovem adulta coreana também. E isso foi maravilhoso no fim do dia, pois rendeu uma faixa tão séria e tensa que se torna uma música forte e marcante para todos os envolvidos. “Nakka” é uma grande mudança de imagem, fazendo exatamente o que o AKMU queria fazer lançando isso aqui.

2 comentários em “Year End 100: As melhores músicas do Asian Pop em 2021 (Parte 4)”

  1. Gostei muito de A Girl Of Tokyo, não costumo a acompanhar muito o lado jpop, mas sempre via muitos comentando sobre essa Chanmina e nossa, gostei demais dessa música.
    Só aqui mesmo que a gente encontra algo como esse tal de N.O.M
    Pra mim Twice e Brave Girls entregaram algo inédito pra mim nos verões capopeiros, o lado chique e o lado farofeiro.
    Os atos japoneses que tu tá colocando estão interessantes.

    Curtido por 1 pessoa

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: