Year End 100: As melhores músicas do Asian Pop em 2020 (Parte 4)

A quarta parte do Top 100 de melhores músicas de 2020 está no ar, fazendo a sutil transição para introduzirmos o Top 50 da minha lista de favoritas de 2020. Isso quer dizer que, a partir de agora, os comentários vão deixar de ser “Você cortou música x tão cedo, que crime” para “Como assim essa música mais ou menos numa posição tão alta, você não tem vergonha?”… Ou não, já que algumas músicas que aparecem nesse post são fan favorites e Top 10 de muitos de vocês que lêem esse blog. Curioso para saber quem são, clica aí no leia mais então:

55. Yukika – Yesterday

A Yukika é uma japonesa que está vivendo seu sonho de ser uma idol coreana e se aventurando pelo país servindo o city pop bem gelado para nós. E como ela é uma gatinha nipônica que provavelmente não tem “Plastic Love” como a única referência igual todo ato coreano que se aventura nisso, ela consegue dar um tom mais original para suas reinvenções oitentistas mesmo com 50 reais e um Samsung A10 parcelado em 12x para bancar seus lançamentos. Em “Yesterday”, por exemplo, é interessantíssima em sua proposta melancólica e discreta, com alguns elementos que deixam a faixa mais jovem como um coral e um “rap” para a música. “Yesterday” é uma faixa brilhante que passa mais despercebida numa ouvida mais desatenta, mas quando você ouve mais uma vez com mais carinho fica “wow, ela serviu tudo aqui”.

54. STAYC – So Bad

2020 não foi muito legal para rookies femininas no quesito sucesso comercial (Música também, mas não vamos entrar nesse assunto), então foi uma surpresa ver o STAYC conseguindo logo de cara uma “popularidade” na Coreia (Entre aspas pois #153 no Gaon e 18k de álbuns não é lá uma definição de popular, mas entre as novatas desse ano que penaram pra entrar no Top 1000 do Melon isso daqui é um smash hit). E “So Bad” merecia muito mais, já que o synthpop oitentista marcando presença em quase tudo nesse 2º semestre ficou ainda mais forte nessa música, e o contraste dos vocais mais gritados com a Leda Nagle que ganhou destaque nos principais becos obscuros do twitter um dia desses deixa a coisa toda ainda mais doce de ouvir. Sem dúvidas o melhor debut que 2020 proporcionou, e é daí pra cima na vida do STAYC.

53. KEEMBO – Scandalous

Honestamente “Scandalous” só é uma faixa maravilhosa por ser do KEEMBO. Ninguém que ousasse cantar/gritar uma faixa sobre ser escandalosa seria tão efetivo quanto Kim Boa e Bohyung, as duas vocalistas do grupo mais injustiçado da década (Sim, SPICA merecia 10 #1 na Coreia mas eles não estavam prontos pra isso). Essa música é um popzão delas debochando da cultura de achar feio mulher que grita demais, onde elas falam “Sou escandalosa sim, e daí? Continuo bonita pra caramba e fazendo o que quero”, numa faixa totalmente despretensiosa e muito bem produzida pelo Sweetune, e nem precisa de muito para o KEEMBO se destacar numa faixa com mais pulso. Achei muito legal que a dupla lançou muitos singles esse ano (Foram 4 lançamentos com 22 reais e duas passagens de ônibus de orçamento mas elas trabalharam muito), e disso tudo “Scandalous” é a faixa mais memorável até aqui.

52. Momoland – Thumbs Up

Uma pena o Momoland ter virado um girlgroup infantil sem muita relevância com o grande público, pois “Thumbs Up” é uma bobagem tão viciante e crocante que é basicamente uma “Bboom Bboom” criada por outro produtor. Os visuais melhoraram, contaram com a participação do gigante Pororo e o grupo em si deixou de ser tão bagaceiro, com elas cantando sobre serem as atuais grandes gostosas do Top 200, mas ainda existe aquela essência de EDM trash e não tão levado a sério que faz o grupo brilhar no meio da manada. A tendência é o Momoland se tornar um grupo cada vez mais “polido”, então “Thumbs Up” acabou sendo a última oportunidade da Coreia viralizar uma farofa gostosinha e divertida do grupo (E os coreanos ainda vão se arrepender de não dar outro smash pra nossa menina JooE).

51. LiSA – cancellation

Acompanhar esse novo auge da LiSA me rendeu uma das minhas b-sides favoritas de 2020. Eu disse em “Homura” que a LiSA deu uma boa amadurecida desde os tempos de Sword Art Online, e “cancellation” é o grande ápice desse amadurecimento pra mim. Uma jovem Seiyuu nos seus 20 anos não conseguiria trazer a força e o drama que esse rock pauleira precisa para funcionar sem ser engolida pela música, e a LiSA consegue botar toda a atitude e intensidade pra fora a ponto dela ser o destaque de uma faixa tão pesada, e é aí que “cancellation” se torna brilhante. Se a LiSA é a nova fodona do J-pop/rock, ela fez por merecer com essa música.

50. G.E.M – Fly Away

Já a G.E.M é naturalmente uma cantora incrível, não só pelo seu vocal mas como ela consegue dar personalidade para cada música, fazendo com que até uma baladona chinesa padrão consiga ser memorável e curar onde dói. “Fly Away” é um power ballad que tem uma coisa meio “Linkin Park se metendo com rap” notável, mas a G.E.M sabe como fazer dessa música um evento, então todo segundo dela tem aquela tensão e ansiedade que uma música dessas pede, e quando o refrão chega eu sinto que todas as emoções explodem em um grito de guerra. “Fly Away” é uma faixa fortíssima, e o grande destaque do “City Zoo” pra mim.

49. JYP & Sunmi – When We Disco

As duas últimas músicas deixaram o clima pesado, então vamos deixar mais leve com “When We Disco”, a parceria entre JYP e Sunmi que une o melhor entre dois mundos: A escrachada figura do JYP que torna qualquer estética brega e uma Wonder Girls basicamente revivendo os tempos de “Nobody”. É claro que um combo desses faz de “When We Disco” um dos troços mais divertidos do ano, sendo o revival coreano de Embalos em Sábado a Noite e provavelmente seria a 2ª música favorita da minha mãe esse ano se ela desse qualquer foda pros K-pop que eu ouço. Não tem muito o que comentar de “When We Disco”, mas tem muito para se divertir ouvindo.

48. Matsui Jurina – Who Are You?

Essa daqui deve ter passado despercebido até para quem acompanha a Jurinão, pois isso aqui é uma coupling song de um single do SKE48 e, embora “FRUSTRATION” ainda seja um marco na minha playlist de músicas baixadas de forma alternativa, eu sigo não dando muita moral pra lançamento de grupos 48. De qualquer forma, eu fui ouvir “Who Are You?” naquela de “Não pode ser pior que aquele álbum solo dela” e não é que temos uma faixa realmente legal aqui? Ela segue aquela linha de pop/jazz com uma banda de fundo que rende muita coisa legal pra grupo idol japonês no geral, e a Jurina segura muito bem a faixa sozinha. Essa música seria um ótimo caminho para Jurinão seguir em carreira solo, que espero que ainda exista depois que se graduar do SKE48 ano que vem.

47. BLACKPINK – Lovesick Girls

Levou 3 anos mas esse blogueiro finalmente voltou a deitar para um single do BLACKPINK depois das consecutivas tragédias que inexplicavelmente fizeram sucesso com o povão (E “Ice Cream” que nem a fanbase faz muita questão de fingir). E convenhamos: O BLACKPINK é tão melhor quando o Teddy não tenta se provar como o produtor mais genial da história, né?! Você já deve ter ouvido esse EDM com referências country em qualquer playlist da Energia 97 lá por volta de 2015/2016, mas isso não deixa a música ruim. Pelo contrário: Tudo que um gay quer é uma farofa fácil de digerir com umas gatinhas cantando sobre como é nascer sozinha mas continuar buscando o amor nos braços de alguém, e é tudo que o BLACKPINK serviu aqui. Por mais músicas assim e menos reinvenções de “DDU-DU DDU-DU”, Teddy, não é tão difícil assim.

46. Airi Suzuki – Let The Show Begin

A Airi Suzuki é uma das solistas mais legais do J-pop atual, e ela poderia ter mais destaque na minha playlist se a Up Front/Hello Project não fosse uma merda e dificultasse a vida de todos nós se não barrasse as músicas do streaming. Em 2020 a gatona focou em lançar singles depois do ótimo álbum “i” lançado no fim do ano (E eu poderia ter incluído algumas músicas dele aqui mas eu literalmente esqueci que ele foi lançado perto do natal de 2019, mas fica a menção honrosa e a dica para vocês caçarem esse que é um ótimo álbum pop), e dos singles desse ano o mais legal é “Let The Show Begin”, que segue a mesma proposta do solo da Jurina que rodou duas posições antes mas leva um pouco mais além, servindo uma estética showgirl e um jazz mais forte lembrando muito o auge da carreira da Ailee. Eu não vejo a hora do Tsunku parar de dificultar pra gente e botar os atos do HP/Up Front no Spotify global logo, pois aí fica bem mais fácil divulgar a carreira da Airi Suzuki que vai muito bem musicalmente.

45. Koda Kumi – XXKK

O meu grande guilty pleasure são os traps de fodona da Koda Kumi. Eu adoro descer o pau nas mais questionáveis escolhas de demos fodonas que Kodão adota, mas dá um mês e eu tou lá ouvindo os bangers da véia como se não ouvesse amanhã. Claro que não teria a audácia de botar “Killer monsteR” nesse top pois pra tudo tem limite, mas “XXKK” vale a pena mencionar pois, de tudo que a Koda vem desovando nesse estilo, esse é definitivamente o mais legal deles desde “YAS BITCH!!! SLAY!!!! W FACE!!!!!”. Acho que aqui a Kumi soube equilibrar muito bem os momentos mais lentos e sensuais com as partes mais bagaceiras e boss bitch, e como a música fica passeando por esses momentos durante toda a sua duração, essa mistura de suavidade com agressividade torna “XXKK” marcante. Parabéns Kumi, é sempre digno de nota quando você acerta uma pois sempre vem algo muito bom.

44. GFRIEND – MAGO

“MAGO” é o grande momento da Apinkzação do GFRIEND (Glossário: “Apinkzação” é quando um girlgroup cansa de bancar as sonsas por anos a fio e decide fazer músicas de balada para alimentar gays por aí). Ela explora muito bem a tendência retrô, moderniza o synthpop/disco com uma mistura hipnotizante e vocais ótimos que casaram muito bem com a coisa toda. “MAGO” é uma faixa sensual e implacável, onde o GFRIEND quer me provocar e dominar a pista de dança… E conseguem muito bem. Uma pena que os coreanos ainda não deram o hit para essa nova fase do GFRIEND, mas uma hora eu acredito que elas vingam assim (Vamos lá, Big Hit, se conseguiu vingar o BTS com bem menos dá pra fazer o GFRIEND voltar a ser um nome forte também).

43. Everglow – LA DI DA

A melhor música do Everglow ser algo que passa longe do que o grupo criou como assinatura sonora (Chupar tudo que era possível das bombas do BLACKPINK) chega a ser irônico, mas isso não importa. Os responsáveis delas (E de outros nomes que vão aparecer mais pra cima) tomaram a decisão certa de pegar tudo que era possível de “Blinding Lights” e transformar a música num genuíno bop de girlgroup, e a letra saída diretamente de um sarau da Quebrando o Tabu e dando trabalho para a discografia do ITZY é um bônus que deixa a música ainda melhor. Everglow nunca foi aquele grupo que eu me importasse tanto de ouvir, mas depois de “LA DI DA” eu realmente vou dar mais atenção pro grupo.

42. Chris Lee – Ms. Priceless

Acompanhar artista chinês dá trabalho, pois não existe um allkpop chinês para a gente ficar antenado com as fofocas de 4º escalão os lançamentos de lá e eles têm as próprias plataformas para divulgar seus trabalhos. Então quando surge uma música na minha timeline ou nos recomendados e que não parece ser um tradicional baladão chinês de meia hora, eu não perco tempo e vou lá ouvir. Dito isso, que hino gostoso essa “Ms. Priceless” da Chris Lee. Aqui ela é mais uma brincando com synthpop oitentista e estética vaporwave e se dando muito bem com um ótimo bang, e o refrão com as repetições rodando deixaram a música muito mais divertida e, huh, “chinesa”. Não lembro se já aclamei alguma outra dela em algum outro momento da vida mas ela foi perspicaz com essa música.

41. YooA – Diver

Eu adoro “How Deep Is Your Love” do Bee Gees. Acho uma música linda de ouvir com um nome marcante e até os dias de hoje eu boto pra tocar numa playlist nostálgica. Então quando eu ouvi a Yooa transformando “How Deep Is Your Love” em um gancho de “Diver” a minha mente foi direto na música do Bee Gees e eu fiquei “Meu deus essa garota foi genial aqui”. Não sei se foi a intenção dela (Provavelmente sim, já que até a mesma sonoridade disco do Bee Gees bate ponto aqui), mas isso tornou “Diver”, que já é ótima e tem um dos melhores refrões do K-pop esse ano, ainda melhor. De longe o melhor trabalho envolvendo o Oh My Girl em 2020.

9 comentários em “Year End 100: As melhores músicas do Asian Pop em 2020 (Parte 4)”

  1. Nem acho que foi um ano fraco para GG rookies. Gosto muito de Got that boom do Secret Number, TAG me do weeekly, e sim gosto de Black mamba tbm a música é viciante e considerado todos os debuts horrorosos da sm (aka mama, hapiness e La cha ta e qualquer merda do NCT) Black mamba está no lucro.

    Curtir

Os comentários estão encerrados.